Grandes Esperanças - Charles Dickens

2 de janeiro de 2019



Título: Grandes Esperanças
Autor: Charles Dickens
Páginas: 702
Ano: 2012
Editora: Penguin Companhia
Gênero: Romance inglês
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:   
Sinopse: Se Charles John Huffman Dickens (1812-1870) foi um escritor irônico e contundente, com Grandes esperanças provou-se capaz também de ser contido e reflexivo, ao produzir o seu último romance. O livro mostra Dickens no auge da forma, produzindo uma história de desilusão que mais tarde seria saudada por autores como George Bernard Shaw e G. K. Chesterton pela perfeição narrativa.
A grande característica de Grandes esperanças é ser uma história de redenção moral do protagonista, Pip, um órfão criado rigidamente pela irmã num lar humilde e disfuncional, que, após herdar inesperadamente uma fortuna, rejeita a família e os amigos por se envergonhar da própria origem.
No começo conhecemos o infortúnio de Pip, o narrador que vive aterrorizado pela irmã mais velha que, após a morte dos pais, o criou “com a mão de ferro”, bordão para a maneira rígida e por vezes violenta com que trata o filho de criação e também o marido, o ferreiro Joe Gargery. Sua vida começa a mudar com o inesperado convite para que passe a visitar Miss Havisham, uma mulher rica da aldeia, e seja companhia de sua filha adotiva, Estella. Pip imediatamente tem uma queda pela garota, sentimento que se transformará em amor durante a vida adulta e o conduzirá à imoralidade.
A vida de Pip sofre uma reviravolta ainda maior quando, já se preparando para o ofício de ferreiro, recebe a visita de um advogado, que anuncia que o jovem é herdeiro de uma fortuna. Após abandonar a família para viver em Londres, Pip passa a desprezar a sua vida anterior, tentando tornar-se digno de se casar com Estella, que, no entanto, não se interessa por seus sentimentos.
Dividido em três partes, discutindo a bondade, a culpa e o desejo, o romance originalmente foi escrito como um folhetim e publicado na revista semanal All the Year Round, entre dezembro de 1860 e agosto de 1861, tornando-se um grande sucesso. Dickens toma o cuidado de não buscar a empatia fácil com o leitor, fazendo de Pip um personagem sincero em sua imoralidade e, quando se arrepende, na busca pela redenção.



Este livro foi cedido pela Editora Penguin Companhia, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 

“Você era a encarnação graciosa de todas as fantasias que a minha mente alguma vez concebeu.”
Resenha: Dickens realmente é um escritor primoroso de literatura inglesa, pois seus romances não só são bons de ler e nos trazem uma visão de mundo diferente do habitual, mas também nos fazem questionar o ser humano, a vida em si, o livro e seu impacto em sua época e na atualidade.
“Nenhum trapaceiro na face da terra nos engana tão bem quanto o trapaceiro que existe em nós, e com tais pretextos eu enganava a mim mesmo. ”
Esse livro conta a história de um garotinho que está sendo educado pela sua irmã mais velha e casada com um ferreiro e acredito que essa edição seja uma das melhores porque ela é muito bem traduzida. Não tem nenhum tipo de erro nem ortográfico quiçá de gramática em sua extensão, tem uma ótima introdução, para quem ainda não leu o livro, notas e outras coisas complementares nos ajudam e muito a entendermos melhor a história escritor por Charles.
“Pense num dia qualquer, e o subtraia, e veja que, sem ele, sua vida teria um rumo inteiramente diferente. Faça uma pausa, você que lê estas palavras, e, por um momento, pense na imensa corrente de ferro ou de ouro, de espinhos ou flores, que talvez jamais o tivesse encadeado, não fosse a formação do primeiro elo de um dia memorável. ”
Pip em sua ingenuidade de criança faz coisa por medo, pavor e acaba conhecendo um ser humano que mudará sua vida por completo, porém ele também conhecerá alguém que o fará sentir que vale a pena lutar pelo que ele pensar ser o certo. Em meio a muitas reviravoltas o final é avalassador.
Se o medo de não ser compreendido existe no peito de outras crianças como existia no meu – o que considero provável, pois não tenho nenhuma razão particular para pensar que eu fosse uma monstruosidade – esta é a chave para muitas reservas. ”
Todavia, é um romance inglês tem que ser lido e compartilhado por que quem ama ler livro e literatura diversas que nos agregam em espírito e alma e nos fazem seres repletos de capacidade de discernir o que a vida nos torna.

7 comentários

  1. Amo livros com essa premissa, que nos fazem questionar. Amei a resenha e já quero ler o livro :D

    https://www.submersaempalavras.com/

    ResponderExcluir
  2. Li apenas um livro do autor e gostei bastante, apesar que tem muitos anos. Mas curti a resenha desse livro, muito interessante, espero que a linguagem seja fácil de entender.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Tenho até uma certa vergonha em confessar que ainda não tive oportunidade em ler uma obra do autor, apesar de sua renomada fama e só ler coisas positivas referente a sua escrita. O enredo do livro me deixou bem curiosa e animada para mudar esse triste fato, vai ser bem interessante acompanhar essa história, que apesar de escrita há tanto tempo, ainda nos deixa refletindo durante a leitura, e é isso que mais me encanta em relação ao autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Raquel
    Ainda não li nada do autor, mas vi muitos comentários maravilhosos sobre seus livros.
    Ler esse livro deve ser maravilhoso com um misto de sentimentos acompanhamos a vida de Pip com suas tristezas, alegrias. Meso com século de diferença ainda é uma leitura atemporal.
    Espero ter oportunidade para ler, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá Raquel,
    Não é o tipo de livro que se lê todo dia, é um clássico, de cara vemos isso, e acredito ser muito bem escrito. Pena que nem conhecia o autor, só fiquei sabendo dele agora.
    Gostei dessa premissa de amor não correspondido, acredito que moldar um personagem antes e depois disso seja algo bem interessante, principalmente para o leitor.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Confesso que não sou uma pessoa que lê clássicos, mas fiquei impressionada com essa resenha, ainda não tive nenhuma oportunidade de ler algo do Charles Dickens. Ja irei colocar na minha lista.

    ResponderExcluir
  7. Grandes Esperanças aparente ter um enredo maravilhoso. Eu amo a narrativa com uma criança como protagonista, ver tudo por um olhar ingênuo e afetuoso, isso foi o que mais me atraiu na trama, além das relações que podem mudar tal visão. Só tenho receio por ser um clássico, por cona da narrativa e palavras mais rebuscadas.

    ResponderExcluir