O Destino de Uma Nação - Anthony McCarten

10 de novembro de 2018

Título: O Destino de uma Nação – Como Churchill desistiu de um acordo de paz para entrar em guerra contra Hitler.
Autor: Anthony McCarten
Páginas: 271
Ano: 2018
Editora: Crítica
Gênero: História Militar
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:  
Sinopse: Um novo olhar sobre a segunda guerra mundial! Logo após assumir o posto de primeiro-ministro da Grã-Bretanha em maio de 1940, Winston Churchill proferiu três discursos que mudaram o rumo da Segunda Guerra Mundial. São falas memoráveis que deram o tom da resistência britânica. Com palavras, ele mudou o clima político e mobilizou uma reticente e amedrontada população. Em O destino de uma nação, Anthony McCarten analisa como isso foi possível e conta nos mínimos detalhes como foram aquelas “horas escuras” pré-guerra. A partir de pesquisas nos Arquivos Nacionais, onde teve acesso às atas das reuniões do Gabinete de Guerra que Churchill chefiava, McCarten traz revelações impressionantes. A mais importante delas: a possibilidade real de um acordo de paz entre Grã-Bretanha e Alemanha. Pelo menos em duas ocasiões, o primeiro-ministro, apresentado à história como o maior inimigo de Hitler, disse que não faria objeções a negociações se o ditador alemão fizesse algumas concessões. “Será que Churchill considerava seriamente entrar em conversações de paz com um maníaco homicida que ele abominava mais do que qualquer outra pessoa? Parece que sim”, conclui McCarten. Transformado em filme, O destino de uma nação vai comover e impressionar todos os que se interessam pela história do mundo.
Resenha:




Você confiaria em alguém que age de acordo com os seus interesses pessoais e foi responsável por perdas incalculáveis a nação em razão de suas decisões precipitadas? A Grã-Bretanha confiou. Escolheu Winston Churchill como seu primeiro-ministro em um dos períodos mais sombrios da nossa história, a Segunda Grande Guerra.

Na sua parte introdutória o leitor é levado a conhecer um pouco do lado pessoal, seu relacionamento com o pai, militar e parlamentar, sendo esta um tanto quanto dúbia.

A escolha de Winston ao mesmo tempo em que não agradava os seus pares, inclusive o próprio rei George VI que era contra a sua indicação inicialmente, pareceu ser a solução mais acertada. Grandes representantes do parlamento não confiavam nele, mas, mesmo assim, coube a Churchill a dura tarefa de ser o líder de uma nação prestes a entrar em uma nova guerra mundial.

Tendo acesso às atas das reuniões do Gabinete de Guerra em que o primeiro-ministro conduzia e os diários dos ministros e membros do governo o autor expõe os momentos mais sinistros do pré-guerra de uma forma limiar e rica, com informações preciosas sobre as decisões do chefe da nação bem como a maneira que se comportava perante o seu povo e, sem esquecer, que os seus discursos foram fontes de inspiração não só para o seu país, mas também para os Aliados e todos aqueles que acreditavam em suas ações.



O livro parece colocar em pauta se realmente ou não se passou na cabeça de Winston fazer um acordo de paz com Hitler. Já que na parte final da obra, ele deixa bem claro que há controversas sobre esse fato, já que os livros que fala da vida do primeiro-ministro ou dos relatos daquela época não mencionam em nenhum momento essa possibilidade.

Em 2017 o livro foi adaptado para o cinema, cabendo ao ator Gary Oldman, o eterno Sirius Black da saga Harry Potter, interpretar Churchill. O artista ganhou alguns prêmios por essa atuação, entre eles o de melhor ator em filme dramático no Globo de Ouro e o de melhor ator no Oscar. Embora o filme por muitas vezes dê ênfase as excentricidades do primeiro-ministro, há várias passagens do livro na adaptação entre os diálogos dos personagens. Não deixe de conferir o livro ou mesmo o filme.

5 comentários

  1. Oi, Nádja!!
    Não sou uma leitora assídua sobre livros que norteiam sobre a história militar, principalmente de um país estrangeiro como a Grã-Bretanha, mas essa história quase biográfica do primeiro-ministro do Reino Unido Churchill parece ser muito interessante. Gostei demais da indicação do filme e do livro.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Olá! Simplesmente amo esse tipo de leitura, e o quanto ela contribui e muito para que possamos conhecer e entender essa parte tão sombria e triste da nossa história, sem dúvida e leitura obrigatória para mim. Ainda não assisti ao filme, mas quero conferir também essa grande atuação do nosso eterno Sirius.

    ResponderExcluir
  3. Que baita dica, não tinha ouvido falar de nenhum dos dois, mas tenho certeza que será uma experiencia enriquecedora. Temas como a segunda guerra eu venho descobrindo a pouco tempo e a cada novo livro (ou filme) mais eu fico cativada e ao mesmo tempo revoltada com os absurdos e maldades que ocorrerem no período de guerra. Só não entendi se essa situação que narra o filme e o livro se é verídica. Mas independente, dica anotada.

    ResponderExcluir
  4. Oi Nádya,
    Bem, essas especulações só mostram que só conhecemos mesmo umnser humano quando ele tem poder!!! Acredito que os relatos da segunda guerra mundial são os que mais assustam as pessoas, e realmente não consigo imaginar como um líder conseguiria fazer qualquer tipo de acordo com Hitler, se bem que, pensando no ano atual, as pessoas tem tanto maldade escondida, que nem chega a espantar...
    Eu já conhecia o filme, mas não cheguei a assistir, gostei de saber sobre o ator principal!
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Nádya!
    Adorei a dica de leitura, é um liro que realmente trás informações e detalhes da época, gostaria de conhecer.
    Bjs!

    ResponderExcluir