Faces do Fanatismo - Jaime Pinsky e Carla Bassanezi Pinky

29 de maio de 2018

Título: Faces do  Fanatismo
Autor:  Jaime Pinsky e Carla Bassanezi Pinky
Páginas: 285
Ano: 2004
Editora: Contexto
Gênero: Política, Filosofia e Ciências Sociais
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:    
Sinopse: Fanático por caipirinha. Fanático por samba. Fanático por viagens. Há fanáticos para tudo. Ou melhor, há fanáticos e fanáticos. Entretanto, parece óbvio que um "fanático por novela" é algo bem diferente - e bem menos perigoso - que um "nazista fanático". Numa época de perplexidade, em que olhamos para as conquistas da humanidade, por um lado, mas vemos, por outro, os homens exibindo sua face mais cruel, torna-se necessária uma obra que dê conta das várias faces que o fanatismo adquiriu ao longo do tempo e em contextos distintos. Num tempo de homens-bomba, atentados terroristas, manifestações racistas, ações extremistas, massacre de inocentes pensar o fanatismo é atual, relevante e urgente. Cruzadas, caça às bruxas, expurgos stalinistas, macarthismo, nazismo, terrorismo político, torcidas organizadas, fundamentalismo islâmico e várias outras formas de fanatismo são cuidadosamente tratadas neste livro lúcido e revelador.

Resenha:




O mundo globalizado onde nos inserimos leva-nos muitas vezes a culpá-lo da maioria das mazelas que atualmente assolam a humanidade, dentre estas se destaca a violência desenfreada desenvolvida por diferentes grupos étnicos e culturais manifestando-se através de terrorismo, intolerância racial, religiosa, política dentre tantas outras.
O livro Faces do Fanatismo tenta imergir o leitor a um entendimento inicial da presença de um conjunto de fatores que ao longo dos últimos séculos contribuíram para a manifestação de “ódio” coletivo em diferentes épocas, classes sociais, regiões direcionadas ou outros grupos que não se justificariam pelos razões racionais de consenso aceitáveis.
O Fanatismo é um termo relativamente moderno, usado para aglutinar diferentes formas de convicções que sempre beiram a intolerância. No entanto, essa exposição intransigente, permanentemente se fez presente em diferentes períodos, indo da idade média, onde destaca-se o fanatismo religioso (ex: inquisições e guerras santas, etc), passando para idade moderna com predominância do fanatismo racial (ex: ku klux klan, nazismo etc), idade contemporânea, onde o fanatismo politico se sobressai (stalinismo, terrorismo político, etc), até os dias atuais, onde continuam presentes todas as formas de fanatismo anteriormente descritas agregando agora o fanatismo esportivo, tão em evidencia em nosso pais atualmente através da rivalidade entre torcidas organizadas.
Ao fim da leitura, temos a inquietante sensação que há uma predisposição humana para comportamentos de grupo de autopreservação e de dominação sobre grupos “rivais” através da violência, e que o combate a essa condição “primitiva” humana é um dos grandes obstáculos para de fato nos intitularmos como homo sapiens.

15 comentários

  1. Puxa, muito interessante!!! Não conhecia o livro, mas realmente somos moldados a sermos fanáticos por algo ou alguém. Seja futebol, bebidas e até na literatura.
    Muito boa a proposta do livro e se puder, quero saber mais.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Eu geralmente não leio o gênero, sou bem desligada. Mas a ideia do livro em si parece interessante, é uma obra que puxa a realidade e isso é bom. Nos faz refletir.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nádya.

    O fanatismo é algo que, com o passar do tempo, foi se agregando e ganhando mais espaço. Com certeza não é sinônimo de algo positivo, pois temos muitos exemplos do mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Olá Nádya!
    Não leio livros do gênero, não entendo nd do assunto, mas achei interessante, vou deixar a dica anotada aqui na listinha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Me parece uma leitura forte e não é um gênero que me atrai.
    Mas parece uma leitura enriquecedora para quem tem interesse no assunto.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Nádya!
    Não conhecia esse livro, obrigada pela dica.
    Faces do Fanatismo nos faz pensar que somos ou conhecemos pessoas fanáticas em tudo: religião, futebol, novela, ídolos de modo geral, entre outros.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. O livro aborda uma boa temática, onde ao lermos, podemos refletir sobre as diversas formas do fanatismo. Pessoas inocentes morrem a cada dia por isso, vemos varios países em guerra por conta de uma escolha estrema.

    ResponderExcluir
  8. Oi Nádya.
    Não conhecia esse livro. Achei a premissa bem interessante e o conteúdo bem relevante.
    Infelizmente há muitos grupos de pessoas que cometem atos de intolerância ou de desrespeito, pois acham que estão blindados por estarem em grupo, sendo muito influenciáveis ou por só quererem fazer parte de algo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Parece ser um livro bem interessante, acho que tentar entender o porquê de tanto ódio e rivalidade, por razões tão banais, como a escolha de time ou estilo musical preferido, além das questões sociais e religiosas é muito importante nos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  10. Que livro interessante você trouxe Nádya. Apesar de não ser um estilo de leitura que normalmente busco ler, o tema abordado e discutido é de extrema importância para abrir os olhos da sociedade, afinal quando falamos de fanatismo não estamos apenas associando ao nazismo, mas a todo tipo de intolerância e violência. Do terrorismo até a violência nas torcidas organizadas, e citando os dias atuais vivenciados no nosso país, a violência pela busca de míseros litros de combustível. Lamentável, mas é a realidade do Brasil.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá Nádya
    Você trouxe um livro extremamente interessante, mesmo não sendo o tipo de livro que eu leio com frequência. Eu estudei um pouco do fanatismo no ensino médio, então eu fiquei extremamente curiosa para ler esse livro!

    ResponderExcluir
  12. Nunca li nada a respeito do fanatismo, mas o assunto em si achei interessante. Logico que já ouvi falarem muito a respeito inclusive pelo fato de ainda existir. Não descarto a possibilidade de lê lo.

    ResponderExcluir
  13. An-nyong-se-ha-yo!
    Não sou muito fã de livros sobre a história do mundo, porém, com esses temas complexos, é impossível não sentir interesse na leitura.

    ResponderExcluir
  14. Olá Nádya,
    Não sou fã desse tipo de leitura e provavelmente não vou ler esse livro.
    Acho o assunto tratado nele é muito importante e ele devia ser leitura obrigatoria em escolas para conscientizar as pessoas sobre o assunto desde jovens. (Assim eu leria).

    ResponderExcluir
  15. Oi Nádya.
    Que premissa bem interessante, eu normalmente não leio esse tipo de livro, mas esse eu já quero sem sombra de dúvidas, o que você falou sobre a pré disposição humana para a violência é preocupante, mas ainda é um tema para ser refletido, enfim, já quero essa leitura, pois, sei que ire adorar.
    Bjs.

    ResponderExcluir