O Problema dos Três Corpos - Cixin Liu

9 de março de 2018

Título: O Problema dos Três Corpos #1
Autor: Cixin Liu
Páginas: 320
Ano: 2016
Editora: Suma de Letras
Gênero: Ficção Científica, Literatura Estrangeira
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Saraiva | Amazon Nota:     
Sinopse: China, final dos anos 1960. Enquanto o país inteiro está sendo devastado pela violência da Revolução Cultural, um pequeno grupo de astrofísicos, militares e engenheiros começa um projeto ultrassecreto envolvendo ondas sonoras e seres extraterrestres. Uma decisão tomada por um desses cientistas mudará para sempre o destino da humanidade e, cinquenta anos depois, uma civilização alienígena a beira do colapso planeja uma invasão. O problema dos três corpos é uma crônica da marcha humana em direção aos confins do universo. Uma clássica história de ficção científica, no melhor estilo de Arthur C. Clarke. Um jogo envolvente em que a humanidade tem tudo a perder.

Resenha: 

Ficção científica tem toda uma mágica de fazer o leitor se tornar ávido pelo assunto que o livro aborda. O Médico e o Monstro faz o leitor querer entender como a psicologia explica que um homem se torne seu extremo oposto apenas por se livrar das amarras do politicamente correto impostas pela sociedade. Vinte Mil Léguas Submarinas fará o leitor se sentir capaz de sobreviver a qualquer naufrágio pelas noções geográficas apresentadas pelo livro. O Guia do Mochileiro das Galáxias fará o leitor... Bem, fará o leitor quebrar a cabeça tentando entender a lógica de um motor de improbabilidade infinita dentro da nossa ciência. Cixin Liu, vencedor de mais de dez prêmios relacionados à Ficção Científica, incluindo o prêmio Hugo por melhor romance (sendo o primeiro autor a ganhar com um romance não escrito em inglês, diga-se de passagem) não faria diferente com o primeiro livro de sua prestigiada trilogia.

Parte do desenho da capa do livro em sua versão internacional. Pirâmides serão uma constante nesse livro. Leia e saiba o porquê.
Em física, O Problema dos Três Corpos se refere à um estudo baseando-se nas Leis Gravitacionais de Newton, que busca traçar o trajeto de um corpo massivo de menor massa em relação a outros dois corpos massivos de maior massa, exercendo atração gravitacional em cima do primeiro objeto, estando os três corpos no espaço. Nos dias atuais, o problema foi resolvido através dos mais diversos métodos matemáticos. No universo do livro, o problema é a grande motivação para uma guerra em escala mundial, e a sua resolução se encontra a séculos de distância dos tempos atuais.



A explicação ficou confusa? Esse vídeo é bem mais didático. Pense no planeta como o corpo de menor massa, e os dois sóis, os corpos de maior massa.

O livro se inicia durante os mais duros anos da Guerra Fria, nos quais simultaneamente ocorre a Revolução Cultural na China de Mao Tsé-Tung. Ye Wenjie (ou Wenjie Ye, em sua forma ocidentalizada) é uma estudante de astrofísica, filha de Ye Zhetai, um renomado professor de física da Universidade Tsinghua, em Pequim. Ye Wenjie sofre os mais terríveis terrores da Revolução Cultural, sendo acusada de traição pela Guarda Vermelha, forçada a trabalhar nos campos do interior da Mongólia, sofrendo traição de pessoas que deveriam lhe prestar apoio, sendo considerada uma inimiga política e, por fim, sendo forçada a trabalhar em um centro de pesquisa militar secreto, que busca uma maior compreensão do universo.

Cinquenta anos depois, acompanhamos o desenvolver da história através da ótica de Wang Miao (Miao Wang em sua forma ocidental), um cientista que realiza pesquisas no campo de nanotecnologia. Junto com Da Shi, um policial nada ortodoxo com sérios problemas em respeitar autoridade, embarcam em uma misteriosa investigação sobre uma onda de suicídios por parte de cientistas renomados, ao mesmo tempo que a dupla se vê em uma conspiração envolvendo uma guerra mundial, onde o governo das nações mais poderosas estão envolvidos.

O mistério se intensifica quando Wang Miao começa a ter experiências perturbadoras e improváveis, sem jamais entender como e porque está sendo vítima de fenômenos tão inexplicáveis. Sua busca por respostas o leva até Shen Yufei, física japonesa na qual lhe traz ainda mais dúvidas do que respostas.

Através de Shen Yufei, Wang Miao conhece o jogo “Três Corpos”, um jogo em realidade virtual que simula um mundo onde suas noções de dias são imprevisíveis, o clima é extremamente volátil, e catástrofes naturais aleatórias destroem incontáveis civilizações. O objetivo do jogador é entender como prever todas as ações randômicas deste mundo para, enfim, trazer a estabilidade para a humanidade.

E como estamos falando de jogos, o livro fornece alguns easter eggs. Preste atenção nas informações fornecidas.

Um dos pilares que sustenta por boa parte a narrativa do livro é o mistério fantástico em cima de algo tão familiar e essencial quanto as Leis da Física. Tão simples, mas ao mesmo tempo, tão ousado. Em diversos momentos da leitura, me sentia em obrigação de desvendar, enfim, qual era a trama envolvida e COMO o autor daria uma resposta plausível para algo tão inacreditável. Páginas e páginas foram consumidas e, mesmo com todos os termos científicos, mesmo eu sendo tão leigo quanto ao estudo aprofundado da física, consegui ler sem nunca me sentir cansado. Cixin Liu a um primeiro momento pode parecer prolixo lançando uma enxurrada de termos científicos de uma só vez, mas cada conhecimento demonstrado nas páginas será de grande valor para a conclusão do primeiro livro da trilogia. Separei um dos trechos que melhor resume o livro, que é a carta suicida de uma cientista, Yang Dong. Acompanhe:

“Todas as provas apontam para uma única conclusão: a física nunca existiu nem jamais existirá. Sei que o que estou fazendo é irresponsável. Mas não tenho escolha.”

O Problema dos Três Corpos cumpre sua principal função como livro de ficção científica. O livro cita conceitos de física básica, astrofísica, física quântica e até ciências da computação, de uma forma que o leitor sentirá uma enorme necessidade de mais conhecimento. Sendo o livro parte de uma trilogia, infelizmente o final pode soar um tanto inconclusivo, mas não te impedirá de ter uma ótima experiência com a leitura. Talvez para alguém que queira um primeiro contato com ficção científica, o livro pode dar um certo receio, mas para alguém já familiarizado com o tema, não pense duas vezes: esse livro é essencial para a sua coleção.

9 comentários

  1. Oi Michel!
    Não tinha lido nd sobre esse livro ainda, curti bastante, apesar que não tenho mto o costume de ler livros do gênero, mas achei interessante, vou indicá-lo ao meu marido que adora livros com o tema.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que fiquei com medo da resenha..rs e mais medo ainda de tentar ler um livro tão complexo assim.
    Como tenho pouco contato com ficção científica, assusta um pouco esse monte de termos que para mim, soa tudo como coisa alienígena. Mas como é um gênero que preciso e tento a todo custo gostar e entender, este livro está na lista de desejados desde que o vi pela primeira vez.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Aquela resenha escrita com tanta convicção que faz até quem não gosta do gênero se perguntar se deve ou não ler o livro.
    Kkkkkkkk
    Um arraso! Gostei demais da ideia e um filme desse livro seria muito maneiro!

    ResponderExcluir
  4. Oi Michel.
    Amo o gênero sci-fi, seja filmes, série ou livros.
    Adorei a premissa do livro. Parece bem intricado, com explicações diferentes. Adorei saber que tem conceitos de física básica, astrofísica, física quântica e ciências da computação. Conhecimento é sempre bom, ainda mais se é explicado de uma forma de fácil entendimento.
    Já está na minha lista de desejados.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Michel.

    Pelo o que eu entendi, os dois personagens de uma certa forma, têm algo em comum. Mesmo eles fazendo parte do presente e do futuro... Tendo como base teorias científicas.

    Essa onda de suicídio, estaria ligada a tais acontecimentos, envoltos de mistérios?

    ResponderExcluir
  6. Michel!
    Já gostei de saber que o livro é sobre ficção e escrito por um chinês.
    Acredito que para mim a maior dificuldade será entender os nomes que são bem complicados.
    Gosto quando temos passado e presente e ainda mais quando o passado poderá mudar o futuro.
    Bom que a história é instigante, misteriosa e traz uma linguagem mais técnica, dá para aprender mais, né?
    Suspense é bom demais. Não sabia que tinha jogo de realidade virtual, bem criativo.
    Gostei muito e quero poder ler.
    Obrigada pela resenha.
    Bom domingo!
    “Quando choramos abraçados e caminhamos lado a lado. Por favor amor me acredite, não há palavras para explicar o que eu sinto...” (Renato Russo)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  7. Oi Michel
    Eu só conhecia esse livro pela capa mesmo e nunca cheguei a buscar mais informações. Enquanto eu lia sua resenha confesso que fiquei um pouco perdida nos conceitos de física(sou péssima no assunto rs), mas assim como você me instigou a querer pelo menos entender do que se trata a a questão dos três corpos.

    ResponderExcluir
  8. Olá! Ficção científica não é meu gênero favorito, e por isso fiquei um pouco confusa com o enredo do livro, parece ser uma história bem complexa, mas que chamou bastante minha atenção, bom saber que se trata de uma trilogia, pois fujo de finais inconclusivos, portanto vou anotar a dica, para uma leitura futura.

    ResponderExcluir
  9. Oi Michel!
    Não leio tanto ficção científica mas quando pego um pra ler, em geral é coisa muito boa que vem pela frente.
    Eu como de exatas adoro esses problemas que da física, e com esses quotes fiquei realmente curiosa pra ler.
    Já lançou os outros livros? Porque é capaz de ser só um espaço para o segundo então se eu consigo obter as respostas nos outros livros eu fico feliz uahauha

    ResponderExcluir