Rafani - Sinéia Rangel

17 de janeiro de 2018

Título: Rafani: Quando Esquecer é uma Necessidade.
Autor: Sinéia Rangel
Páginas: 592
Ano:2017
Editora: Coerência
Gênero: Romance Contemporâneo
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:     
Sinopse: Bon vivant e cafajeste assumido, Sam Allencar cultiva três paixões: mulheres, sexo e vinho. Complicações nunca foram parte da sua vida, tudo o que deseja está ao alcance das suas mãos. Até que o seu caminho se une ao de uma desconhecida.

Uma mulher com um passado marcado por traumas e uma vida construída sobre segredos e mentiras, que aprendeu ainda criança que o sentimento mais confiável é o medo, é ele que a mantém viva. Ele não sabia o que estava em jogo, até que estivesse irreparavelmente envolvido. Ela não sabia como contar a verdade, até que fosse tarde demais. Incompatíveis desde o início, mas será que o amor pode curar um passado de dor?

CONTÉM CENAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL E PEDOFILIA. NÃO HÁ ROMANTIZAÇÕES DESTES TEMAS.

Resenha:
“Conto de fadas, é do que sonhos são feitos. O problema é que contos de fadas não se tornam realidade.”
Sam tem 25 anos e na verdade é um grande garoto travesso. Ousado e bastante ligado a família, adora diversão e mulher. Nunca se apegou verdadeiramente a alguém e curte mesmo um bom vinho regado a sexo. Altamente focado no seu trabalho, é assediado constantemente por suas próprias colegas, porém ele evita esse tipo de envolvimento. Lazer e trabalho não se misturam e o que gosta mesmo é ser um libertino sem compromissos ou amarras. Porém essa condição debochada muda quando ele conhece a misteriosa Rafani.
“Minha vida, minhas regras. A primeira delas é que a única regra, verdadeiramente importante, é viver o momento. Levo a sério esta regra, sou um bon vivant, apaixonado pelas mulheres, por todas elas.”
Rafani tem 35 anos e cuida sozinha de seus dois filhos. Bárbara é a filha mais velha, tem 19 anos, trabalha e estuda e sabendo dos traumas de sua mãe é super protetora com ela. Guga tem apenas 5 anos, ainda indiferente as maldades humanas, é um doce garotinho. A vida sempre bateu duro em Rafani, tornando sua vida um lugar cruel e de difícil acesso. Indiferente as suas tentativas de ser forte, sempre tentava deixá-la de joelhos. Sua infância foi marcada por agressões oriundas do próprio pai que era motivado por uma mãe completamente desiquilibrada. Fugindo do próprio passado, seu curto relacionamento também foi marcado por ataques físicos e sexuais.
“Sou a prova real que uma mentira dita mil vezes se torna verdade. Há tanto tempo minto sobre quem sou, que quando olho no espelho, não reconheço a mulher refletida.”
Seus traumas a marcaram profundamente, e seus relacionamentos nunca foram favoráveis a seu crescimento pessoal. Emocionalmente sensibilizada vive um dia de cada vez, até que um dia conhece Sam, um garotão que ameaça abalar suas frágeis estruturas.
“Tenho muito a agradecer, fui mais feliz nos últimos meses do que em toda minha vida, ele pode não ser capaz de curar o meu corpo, mas curou a minha alma e serei eternamente grata por tê-lo conhecido, por ter me apaixonado e sonhado que poderíamos ser uma família; havia muito tempo que não sabia o que era sonhar. Meu erro foi esquecer que na minha história não há espaço para um final feliz.”
O que posso dizer do livro? É com certeza uma leitura forte, real e muito pungente. Temas como estrutura familiar corrompida, abuso sexual e pedofilia foram abordados de maneira crua, sem fantasia ou alusões românticas. Sinéia Rangel mostrou com clareza como vidas podem ser interrompidas e como isso abala de maneira permanente quem vive esse tipo de abuso, bem como quem convive e seus efeitos posteriores.
“Você é uma equação que não consigo resolver, a única merda de equação que me fez perder o sono, porque não sei o que diabos fazer pra ter mais tempo com você."
A história me cativou de cara e contemplei o crescimento de um rapaz que aprendeu por amor a se tornar um homem complexo, capaz de ser paciente e se tornar um porto seguro para a mulher amada. Já Rafani, mesmo com uma alma quebrada, aprendeu a confiar novamente em seus próprios sentimentos e mesmo ciente que o amor não curava tudo, foi capaz de ultrapassar seus próprios limites, sendo mais para si mesma.
“Esquecer e perdoar. É isso que dizem por aí. É um bom conselho, mas não muito prático. Quando alguém nos machuca, queremos machucá-los de volta.”
A obra é narrada em primeira pessoa pelos pontos de vista de Rafani e Sam. A leitura é fluída e os personagens não são caricatos. Um livro que fala de superação, mostrando que marcas cravadas na alma, mesmo sendo profundas, com apoio e amor é possível recuperar a confiança em si mesmo, começar de novo, eliminar alguns sintomas e curar algumas feridas.
“Ao amor. – Ergo o um copo, assim como todos. – Imperfeito, incerto, e acima de tudo verdadeiro. ”

19 comentários

  1. Puxa, eu aqui concentrada na resenha, abrindo página do Skoob para colocar o livro na estante de desejados e me aparece Aerosmith..Aí é para me matar do coração.rs É uma das bandas que mais amo no mundo e esta música casou direitinho com toda a densidade da resenha,mas também com o amor brotando nela.
    Não conhecia o livro,mas já quero demais poder ler e ter o livro em mãos.
    Parece ser uma história que junta toda a dor, mas que transforma tudo isso, em amor pouco a pouco.
    Quero ler, quero muito!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma história realmente pungente e até certo ponto libertadora. Quando fazia a resenha essa música ficava vindo na minha cabeça. Tb adoro Aerosmith e essa música é muito especial. Obrigada!

      Excluir
  2. Oi, Nádya.

    Nesse livro, acho que o improvável aconteceu e o destino mostrou que é possível amar, ter um relacionamento saudável, mesmo diante de tantas cicatrizes... É que é possível mudar como pessoa, mudar o seu estilo de vida, ter uma nova vida, ao descobrir o amor.

    A forma nua e crua da autora dm abordar tais temas pesados e de grande importância, mostrou a realidade dos fatos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não foi fácil, mas Rafani superou muitas dores. Obrigada!

      Excluir
  3. Este livro parece ser bem forte, pois a história trata de temas bem pesados, apesar dos traumas do passado, os personagens foram capazes de confiar novamente em seus próprios sentimentos, uma história sobre superação e sobre como com o apoio e o amor é possível recuperar a confiança e recomeçar.
    Pretendo ler Rafani: Quando Esquecer é uma Necessidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que maravilha, fico muito feliz em saber que gostou tanto da resenha. Obrigada.

      Excluir
  4. Ooi, nossa essa parece ser uma leitura bem forte e real. A forma da autora abordar tais temas sem fantasias ou alusões, me deixou curiosa para ler.
    Gosto muito de histórias sobre superação, onde a o crescimento do personagem.

    ResponderExcluir
  5. Olá!!
    Adoro ler livros com esses temas, e quando a obra trás um bom enredo como este me desperta ainda mais a vontade de conhecer, nunca tinha ouvido flar, mas agora preciso ler e descobrir como a autora desenvolve a história.
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  6. Realmente parece ser uma leitura muito forte, e ainda mais a autora falando sobre isso sem contornar nada, sem esconder nada, as vzs nós não sabemos realmente como é, pois não sabemos de tudo, os detalhes, os sentimentos, mas neste livro com certeza vamos conhecer mais sobre o que a protagonista passou e como quem ja passou por isso se sente! Eu acredito que o amor possa curar as mais profundas dores, e espero que seja isso que aconteça no livro, o fato de cada um se tornar aquilo que o outro precisa é muito lindo, ainda mais Sam sendo do jeito que ele era, e a mudança que fez na vida dele por causa de Rafani, parece ser uma história muito bonita, de superação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maior mudança aconteceu em Rafani e essa foi a mudança mais linda de ser ver. Quando ela finalmente descobriu que o amor tinha que nascer dela e que ela se bastava. Obrigada.

      Excluir
  7. Nossa, parece ser um livro bem tenso. Os temas são fortes e a pessoa deve estar realmente preparada para ler.
    Não conhecia o livro, mas vou colocar na minha lista, para ler um dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Uma ótima leitura para você.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  8. Nadya!
    Temas abordados por ele são importantes para serem discutidos, ainda mais quando não é feito de forma romantizada e sim de forma mais real.
    E melhor saber que tem superação, o que só prova o quanto o livro pode ser bem escrito e elaborado. Violência e abuso sexual são assuntos que devem ser discutidos de maneira bem consciente.
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem verdade. Não existe amor em sexo sem consentimento e abuso seja em que fator da vida aconteça é intolerável. Obrigada.

      Excluir
  9. Aquele momento que você termina a resenha desejando o seu próprio livro. Não sei nem por onde começar a agradecer, enquanto lia só conseguia pensar como a sua análise tem tudo, absolutamente tudo, a ver com o nome do Blog, porque você apresentou a história além da história, pontuando todas as interseções com a vida real. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um livro feito para emocionar, uma autora que toca fundo, despertando um largo sorriso no rosto e aquela sensação de dever cumprido. Muito obrigada!

      Excluir