Luz, Câmera, Ação! Bright

7 de janeiro de 2018

Diretor ou produtor: David Ayer
Ano: 2017
Gênero: Ação, Fantasia
Elenco: Will Smith, Joel Edgerton, Noomi Rapace, Lucy Fry, Edgar Ramirez.
Nota: 
Sinopse: Em um presente alternativo onde humanos e criaturas fantásticas como orcs, fadas, elfos, centauros, etc. coexistiram desde o início dos tempos, o oficial Daryl Ward (Will Smith) e o Orc Nick Jakoby (Joel Edgerton) embarcam em uma noite de patrulha de rotina e acabam por descobrir um artefato antigo e poderoso: uma varinha mágica capaz de alterar o futuro e seu mundo tal como o conhecem.




Resenha:  A história do filme se passa nos dias atuais, a única diferença é que existem seres como orcs, fadas, elfos e outros entre os seres humanos. Importante explicar que não se passa num futuro apocalíptico, num mundo paralelo ou afins. É apenas como se sempre coexistissem juntos, cada ser com sua própria história e cultura, assim como as diferentes raças que existem (negros, asiáticos, árabes) na nossa sociedade.

Nosso protagonista, Daryl Ward (Will Smith) está voltando ao trabalho após sofrer um atentado enquanto patrulhava as ruas com seu parceiro  Nick Jakoby (Joel Edgerton ) faltando apenas 5 anos para se aposentar, sente-se exausto e não vê a hora de poder se aposentar logo.

Há toda uma divisão de classe entre os seres:


  • Elfos: São considerados a nata da sociedade, os mais ricos, os mais inteligentes. Moram na "Elfolândia" ( quem assistir vai entender rsrsrs).
  • Orcs : são marginalizados, vivem em clãs e fazem culto a um Senhor da Escuridão.
  • Fadas: No filme são retratadas como nos livros e filmes de Harry Potter, como um inseto ou algo equivalente.
  • Humanos: continuamos com nossa existência tão normal quanto possível, exercendo os mais diversos cargos e papéis na sociedade.



Daryl pede que troquem seu parceiro orc, pois ele não tem confiança nele e suspeita que deixou o suspeito de ter lhe atirado, orc também, fugir de propósito.
Já Nick, o Orc, sente-se sem lugar na sociedade pois é o primeiro orc policial e por isso não pertence a nenhum clã, pois sua raça o considera um traidor.

E é entre esses conflitos, que os dois atendem uma chamada em um bairro bem barra pesada e após um tiroteio, entram num prédio aparentemente abandonado, aonde encontrarão Tikka e um artefato muito perigoso: uma varinha mágica.


Acontece que embora existam seres mágicos na sociedade, a magia é tratada quase como lenda onde existe uma profecia que trata sobre os Brights, os únicos que podem empunhar uma varinha, e três varinhas que se unidas trarão o senhor da escuridão de volta e  o mundo sucumbirá às trevas novamente, como já acontecera anteriormente.

Quem lida com esses assuntos mais complexos é a Policia Federal, e temos o agente Kandomere (Edgar Ramírez) um elfo que está na cola de uma seita liderada por uma elfa maléfica Leilah ( Noomi Rapace), que quer trazer  o caos ao mundo novamente. 




Eu sei que parece confuso, mas na realidade é um filme bem simples que não demora nem 2 horas mas que consegue abordar bem a questão da aceitação, discriminação, corrupção e amizade. Claro que o final e algumas coisas como os Brights e as varinhas poderiam ter sido melhor trabalhados, mas é um filme que vale a pena assistir se você gosta de fantasia e ação. Super indico.

Então é isso, até a próxima 😉

12 comentários

  1. Bem, ao contrário de você assisti este filme que arrastada..rs Não consegui me conectar com o enredo e até o Will que amo o trabalho, me pareceu muito desconectado de todos os demais personagens.
    Sei lá, eu já comecei a ver o filme tendo lido muita coisa negativa, talvez tenha sido isso que me fez ficar com os dois pés atrás e já fiquei receosa de me prender.
    Em um outro momento, verei novamente só para tirar esta impressão ruim que me causou!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Karla!
    Estou bem animada pra ver o filme, vou até aproveitar a folguinha hj e correr pra ver com o maridão, somos fãs do Will, espero não me decepcionar...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. eu amo fantasia e ação, e o livro é recheado disso, achei um pouco engraçado a colocação das coisas, nós humanos meros mortais sem nada de interessante, os elfos burgueses, os orcs marginais e as fadas são as fadas kkk, mas o filme parece ser bem interessante !!! com certeza vou assistir !! e quero saber mais sobre esse negocio das varinhas e etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e o filme é recheado disso ***** kkkkkkkkk

      Excluir
  4. Eu estou bem curiosa para assistir este filme, e pela sua resenha e o trailer ele aparenta ser muito bom, sem dúvidas pretendo assistir Bright.

    ResponderExcluir
  5. Eu odiiiieeeiii.... O fato de ser filme. Achei o universo e a história criados tão ricos que bm q poderiam ser série ou livro, pra ser melhor trabalhado hehehehe Mas no fundo eu curti ahahaha

    ResponderExcluir
  6. Oi, Karla.

    Não assisti ainda, mas a impressão que eu tive, é que um filme no qual é preciso lutar contra o tempo e impedir que algo ruim aconteça, por causa dessa varinha mágica... Ou seja, a varinha pode ser utilizada para algo ruim e a humanidade acaba dependendo dela... É um filme diferente, com criaturas diferentes, que na verdade não são diferentes! Interessante... Não deixa de ser uma aventura!

    ResponderExcluir
  7. Eu vi esse filme pela curiosidade de saber como inseriram todos esses seres fantásticos na história, mas confesso que acabei achando clichê e meio bobo. Gostei dos temas de racismo, corrupção e coisas assim. Mas essas pessoas e a história me pareceu tão batido. Ah, sei lá. Não me chamou tanta atenção quanto esperei. Quero só ver se tiver mesmo uma continuação, o que vão fazer com esses personagens, a história e mundo deles e tal. Acho que vi esse filme esperando demais e por isso quebrei a cara.

    ResponderExcluir
  8. Eu adorei esse filme e o mais incrível ainda foi o marketing logo que fizeram para ele eu ri horrores com aquela chamada do Evaristo Costa e até mesmo aquela chamada dele sendo preso dizendo que não tinha divulgado spoiler amei

    ResponderExcluir
  9. Eu achei uma doideira essa mistura! Pretendo ver o filme... Ainda mais por ter o Will Smith, que é um ator que gosto bastante. Tem muita gente dizendo que não gostou, mas ainda assim, acho que vale a pena ver.

    ResponderExcluir
  10. Karla!
    Apesar de gostar demais dessa interação entre os seres fantásticos e humanos, comecei a assistir Bright e acabaei dormindo, achei que seria mais movimentado e mais cheio de ação. Mas como aprecio sua opinião, tentarei assistir novamente.
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  11. Assisti esse filme com minha família, no começo achei bem confuso, mas depois adorei é um filme muito bom.
    Além de ter Will Smith que é um ator que gosto muito.

    ResponderExcluir