Mestre das Chamas - Joe Hill

Título: Mestre das Chamas
Autor: Joe Hill
Páginas: 592
Ano: 2017
Editora: Arqueiro
Gênero: Ficção, Literatura Estrangeira
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon, Saraiva
Nota:  
Sinopse: Ninguém sabe exatamente como nem onde começou. Uma pandemia global de combustão espontânea está se espalhando como rastilho de pólvora, e nenhuma pessoa está a salvo. Todos os infectados apresentam marcas pretas e douradas na pele e a qualquer momento podem irromper em chamas.
Nos Estados Unidos, uma cidade após outra cai em desgraça. O país está praticamente em ruínas, as autoridades parecem tão atônitas e confusas quanto a população e nada é capaz de controlar o surto.
O caos leva ao surgimento dos impiedosos esquadrões de cremação, patrulhas autodesignadas que saem às ruas e florestas para exterminar qualquer um que acreditem ser portador do vírus.
Em meio a esse filme de terror, a enfermeira Harper Grayson é abandonada pelo marido quando começa a apresentar os sintomas da doença e precisa fazer de tudo para proteger a si mesma e ao filho que espera.
Agora, a única pessoa que poderá salvá-la é o Bombeiro – um misterioso estranho capaz de controlar as chamas e que caminha pelas ruas de New Hampshire como um anjo da vingança.
Do aclamado autor de A estrada da noite, este livro é um retrato indelével de um mundo em colapso, uma análise sobre o efeito imprevisível do medo e as escolhas desesperadas que somos capazes de fazer para sobreviver.

Resenha: 

Mestre das Chamas, escrito por Joe Hill e publicado pela Arqueiro é uma distopia contemporânea recheada de surpresas.

Distopia, porque é meio que o fim do mundo, e embora não seja classificada assim, é como eu vejo e gosto de classificar aqui na minha cabeça deturpada!

Então vamos lá! Harper é uma enfermeira, boazinha e sempre disposta a ajudar, casada com Jakob, que já de cara eu antipatizei, um cara metido a escritor, metido a superior. Sabe aqueles que pensam que são mais inteligentes do que todo mundo? É ele!

Bom, a loucura começa com as pessoas tendo que uma espécie de combustão espontânea, elas começam a desenvolver umas marcas no corpo, que chamam "Escama do Dragão". A partir daí, estão infectadas. Não pegam fogo de cara, mas estão condenadas à isso. Pelo menos é o que todo mundo pensa. A princípio não se sabe como começou, como se espalha ou se algum dia terá fim, mas causa histeria e a primeira coisa a fazer é juntar esses infectados, pouco depois, eliminar. Na cabeça deles a sentença de morte é dada no momento que o primeiro esporo aparece. Simples assim.

Jakob pensa exatamente assim e vou dizer, o cara é a pessoa mais egoísta para se conviver em meio a uma catástrofe dessas! E a Harper boazinha e pateta não percebe isso até que ele resolva que precisa matá-la, já que ela foi contaminada, e o bebê que ela espera.

A partir daí sua vida vira de cabeça para baixo e ela acaba se vendo escondida numa colônia de férias com outras pessoas, é resgatada pelo misterioso bombeiro John e lá sua vida segue normal e numa boa. Eles aprenderam a controlar o fogo, não queimam assim, do nada mais. Só que continuam sendo perseguidos, a ordem é simples, todos os infectados devem morrer. Ponto.

A paz dura pouco, já que muita gente junta não dá certo e a disputa pelo poder acaba sendo maior do que a vontade de viver em paz. Novamente, Harper está fugindo, só que desta vez, não está sozinha. Ainda que Jakob continue atrás dela.

Eles fogem mais uma vez, mais uma vez pensam que encontram um lugar para viver em paz, para mais uma vez estarem errados, isso tudo porque o ser humano é mau. É estupidamente arrogante e na hora do desespero, acha que viver numa sociedade sem lei é o melhor a fazer, mesmo que pareça que estão lá para fazer o bem, não é tão simples assim.

Eu não quero falar muito, porque não quero contar mais do que devo. É tudo muito complexo, a estória é ótima, só que o autor enrola demais, explica demais e ao mesmo tempo, não explica muito. Por exemplo, eu não consegui "me conectar" aos personagens, não consegui dar um rosto à eles simplesmente porque, para mim, faltou descrição mais detalhada deles. Ou seja, ao mesmo tempo que ele espicha um diálogo ou numa situação, ele corre em outros diálogos ou numa descrição.

Enfim, eu não gostei tanto quanto eu esperava por achar que o autor se estendeu mais do que o necessário, 300 páginas estaria perfeito, em contrapartida, eu gostei de outros aspectos. Por exemplo, eles aprendem a controlar o fogo e entram para o brilho, sim, ele brilham e conseguem isso com música! procurei várias das citadas, músicas mais antigas, bem do meu gosto.

Conhecemos também um lado do ser humano que é tão feio, mas que existe, infelizmente. O desespero, o apego à vida faz com que se faça qualquer coisa pra sobreviver, mesmo que por boas intenções a maldade existe, está lá. Assim  como vemos o lado bom de outras pessoas, o lado das que se doam pelos amigos, gosto disso, faz uma boa estória!

O livro é grande, a capa é bem bonita e coerente com o contexto, não encontrei erros durante a leitura e a diagramação está perfeita, como sempre. Mestre das Chamas me surpreendeu, me cativou e me irritou....

Se eu recomendo? Mas claro! Achei extenso sim, mas é uma leitura que eu faria novamente, daqui a bastante tempo...mas faria!

19 comentários

  1. Oi Denise, também acho que 592 páginas é muito e ainda mais quando o autor economiza em descrições importantes e se estende em outras, mas a ideia do livro é boa e até conseguiria visualizar um filme baseado nela, o que é positivo e tem também o fato de que é um livro único, assim imagino que a história se estenda um pouco por isso.
    Gostei da resenha, fiquei curiosa sobre a história mesmo com os pontos negativos e vou anotar a dica pra ler futuramente ;)

    ResponderExcluir
  2. Que extensão de livro.
    Não sei se a risco a ler, mas a história parece ser muito boa.
    Longa, mas boa.
    Faz referência músicas? Opa! Aí eu dou uma chance...kkk

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia o título mas fiquei curiosa sobre a história, bem extenso mas não vejo problema se a história realmente for boa, vou por na lista.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?! Olha minha experiência com Joe Hill não foi muito boa.
    Fiquei o tempo todo comparando a escrita dele com a do pai e não achei justo... e acabou por nublar completamente a minha leitura.
    Agora lendo sua resenha, tenho certeza que faria isso novamente pelo tema e pela extensão.
    Por enquanto, vai ficar na lista de espera.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oi Denise, tudo bem?
    Achei o livro bem distópico com um pouco de fantasia rsrsrs
    Adoro livros neste estilo e com certeza me interessei pela leitura. Infelizmente o ser humano não sabe ajudar um ao outro, sem querer ser melhor ou mais poderoso. Quero ler o livro em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, além de contar com uma capa linda, a obra é muito original, misturando distopia com uma aura sobrenatural. Esse autor tem uma escrita bem detalhada portando o número de páginas é aceitável. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oie!
    Ainda não li nada do autor, mas sempre gosto de receber novas dicas.
    Fiquei interessada em conferir essa história, bem diferente do que eu estou acostumada a ler, e me chamou a atenção. Acredito que eu vou gostar.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Não conhecia esse livro e olha que sou viciada em leitura, vivo correndo atrás de lançamentos, gostei demais da dica. Sua resenha me deixou com água na boca, com uma vontade louca de conhecer melhor a obra. Suspense fantástico... uau, preciso disso.

    bjsss

    ResponderExcluir
  9. Olá !
    Não conhecia o livro mas gostei da ideia do autor de espalhar uma doença sem cura !!

    Caraca! São 592 folhas ?! Na sei a eu teria paciência com a leitura se ela não for tão fluida e gostosa de ler ..

    Quem sabe um dia eu dê uma chance ao livro !!


    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Ainda não tive nenhum contato com a escrita do Joe, que é filho do stephen king.
    Há tempos não leio esse gênero, mas tiro o chapéu para a editora Arqueiro pela capa maravilhosa.

    ResponderExcluir
  11. Oiee
    Ainda não conhecia esse livro e confesso que não fiquei muito interessada. Coisa que me deixa irritada numa leitura é autor q enrola enrola sem dar um bom andamento à história. O fato do número de páginas não me assusta, mas quando elas não me prendem já acho q é um ponto negativo.
    Enfim, acho q não seria uma leitura para agora por isso passo a dica.
    Bjo

    ResponderExcluir
  12. Desde quando vi a capa deste livro me interessei pela leitura, porém confesso que pela sua resenha a estória me pareceu complexa, já que autor parece explicar toda a situação que esta acontecendo, mas ao mesmo tempo não, ao ponto de não conseguirmos nos envolver com os personagens, por isso talvez este não seja um momento adequado para começar esta leitura, quem sabe depois de um tempo.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem?

    Apesar dos pontos negativos que você destacou, e que a gente não conseguir se conectar com os personagens é realmente algo ruim para a leitura, a premissa me chama bastante a atenção. E que bom que, mesmo com os pontos falhos, como um todo o livro te cativou. Dica super anotada!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  14. Wow! Uma história cheia de detalhes e nuances. Já vi a capa desse livro em alguns lugares, mas até agora não tinha lido nenhuma resenha. Fico irritada quando o autor começa a se prolongar, sem nenhum motivo. Parece que a quantidade é mais importante que a qualidade, o que não é. Enfim, não é uma leitura que eu faria agora, mas eu coloquei facilmente na minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  15. Olá,

    Nunca li nada do Joe. Tenho muita curiosidade pois já li resenhas muito positivas sobre seus livros. Apesar de muito atrativa a premissa desse livro, não gosto de livros que a narrativa é arrastada e que pecam na hora da descrição, por isso não sei se começaria a ler os livros do autor por esse livro.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem? Também sou a igual a você e classifico de acordo com a minha cabeça HAAHAHAH acho que também é distopia, e fiquei muito interessada nele. Adorei e com certeza dica anotada! De fato 592 é de assustar e que notavelmente deve enrolar no meio porém se o final é bom, é porque vale a pena. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oii Denise, tudo bem? Adorei conferir tua opinião sobre esse livro. Já li um livro do autor, A Estrada da Noite, e amei demais. A escrita dele é mais descritiva, um pouco lenta em alguns momentos, mas prende o leitor que é uma beleza. Mestre das Chamas tem tudo que eu gosto em livros do gênero, e espero fazer a leitura logo.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Denise, adorei a resenha! Esse livro já está na minha lista de desejados desde a pré-venda... Já li três livros do Joe Hill e adorei a escrita do autor!
    Acho que ele está se baseando demais no pai quanto ao tamanho dos livros e excesso de descrição nas histórias (embora ame isso nas obras do mestre King)... rsrs
    Espero que consiga ler esse livro logo, minhas expectativas estão bem altas!

    Obs: meus olhos brilharam quando li "distopia" na resenha. Amo esse gênero!

    ResponderExcluir
  19. Oi Denise,
    Pelo jeito o filho puxou o talento do pai né? Ainda não tenho coragem de ler um livro do mestre King, então acho que vou começar pelo filho mesmo haha
    Acho a proposta desse livro incrível, a premissa me fisgou completamente. Se o próprio George R. R. Martin está dizendo que a história é original e envolvente, sem sombra de dúvida é uma leitura prazerosa e eletrizante de inicio ao fim. Adorei o cenário apocalíptico criado, o mistério que permeia dessa doença instiga o leitor a ler o livro freneticamente. O fato de que a história aborda alguns aspectos da sociedade que geram reflexão é mais um ponto positivo da escrita desse autor.
    Beijos

    ResponderExcluir