Quem era ela - JP Delaney

Título: Quem era ela
Autor: JP Delaney
Páginas: 336
Ano: 2017
Editora: Intrínseca
Gênero: Suspense
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Saraiva
Nota:                       
Sinopse: É preciso responder a uma série de perguntas, passar por um criterioso processo de seleção e se comprometer a seguir inúmeras regras para morar no nº 1 da Folgate Street, uma casa linda e minimalista, obra-prima da arquitetura em Londres. Mas há um preço a se pagar para viver no lugar perfeito. Mesmo em condições tão peculiares, a casa atrai inúmeros interessados, entre eles Jane, uma mulher que, depois de uma terrível perda, busca um ponto de recomeço.
Jane é incapaz de resistir aos encantos da casa, mas pouco depois de se mudar descobre a morte trágica da inquilina anterior. Há muitos segredos por trás daquelas paredes claras e imaculadas. Com tantas regras a cumprir, tantos fatos estranhos acontecendo ao seu redor e uma sensação constante de estar sendo observada, o que parecia um ambiente tranquilo na verdade se mostra ameaçador.
Enquanto tenta descobrir quem era aquela mulher que habitou o mesmo espaço que o seu, Jane vê sua vida se entrelaçar à da outra garota e sente que precisa se apressar para descobrir a verdade ou corre o risco de ter o mesmo destino.

Resenha: 
Emma e seu namorado Simon, decidem se mudarem do antigo apartamento por ter sido invadido por bandidos enquanto ela estava sozinha, o que lhe deixou com um tipo de trauma,e na busca, eles encontram uma casa com uma concepção diferente, quase uma obra de arte,com uma tecnologia nunca vista em qualquer moradia.
Só que para morar lá existem um monte de regras - algumas bem ridículas para ser sincera- em que o morador atual se compromete a cumpri-las senão o contrato de aluguel pode ser cancelado.Outra coisa absurda: não podem levar nada "desnecessário" como uma coleção de livros, ou de qualquer outra coisa.
"Se eu tivesse sido convidada para fazer uma lista do que não sinto falta,jamais terminaria."
Simon não gosta muito de todas essas coisas e menos ainda do arquiteto e proprietário do imóvel, mas por Emma ele era capaz de qualquer sacrifício. E então eles começam a morar na casa que é ao menos mesmo tempo insípida e misteriosa, guardando segredos obscuros sobre a vida pessoal do arquiteto.
"As pessoas gostam de falar sobre recomeços. Mas só pode recomeçar quando se parte do zero.O resto está maculado com o que já aconteceu."
Temos também Jane, que após dar a luz a um natimorto, decide se reinventar, e se muda para o nº1 da Folgate Street. Ela acha que tem algo de belo em viver em lugar tão sóbrio, tão cheio de nada e ao menos tempo cheio de regras a serem seguidas.
"As relações humanas, assim como as vidas humanas, costumam acumular coisas desnecessárias."
Só que ao começar a morar naquela casa, Jane começa a se ver envolvida em muitos  mistérios, a começar pela moradora antes dela: Emma. Por mais que não queira, parece que é muito importante para ela, saber quem era Emma realmente e saber o porquê e se alguém a matou (foi encontrada ali naquela mesma casa, caída ao final da escada),pois dependendo das respostas, sua vida pode estar correndo risco, e tudo porque decidiu morar ali.
"É narcisista acreditar que nós vamos mudar a natureza fundamental do outro. Só podemos mudar nós mesmos." 
O livro é narrado por Emma (antes) e Jane (agora), para poder nos situarmos entre o passado e o presente, e para poder entendermos o mistério que envolve a relação de Emma com o arquiteto que projetara a nº1 da Folgate Street, e também sua morte.


Os personagens , assim como nos livros da Gillian Flynn, nos mostram seu lado real, suas falhas,seus medos mais sombrios, e nos fazem mergulhar na leitura buscando cada página como se nossa vida dependesse daquilo: saber o que houve com Emma e o que poderia acontecer com Jane.

O final me surpreendeu, foi um desfecho brilhante.Quem era ela,é um livro que te prende do inicio ao fim, e quando termina, ainda fica na cabeça por alguns dias.

Um dos melhores thrillers que li esse ano, com certeza indico.

Um comentário