Resenha: As melhores histórias de Viagens no Tempo - Vários Autores

Autor: Vários Autores
Páginas: 464
Ano: 2016
Editora: Jangada
Gênero: Ficção científica norte-americana
Adicione: Skoob
Onde Comprar: AmericanasSaraiva
Nota:                      
Livro Cedido Pela Editora
Sinopse: Dentre as temáticas do universo sci-fi, nenhuma delas é tão popular, envolvente e plural quanto as viagens no tempo. Esta coletânea reúne, em um único volume e pela primeira vez no Brasil, dezoito contos de alguns dos gigantes do universo sci-fi, abrangendo cinco décadas, de 1940 a 1990, e incluindo desde Um Som de Trovão, de Ray Bradbury, que inspirou o nome da famosa teoria do Efeito Borboleta, até Ursula K. LeGuin, em Outra História ou um Pescador do Mar Interior, ou mesmo uma ideia impensável, como no conto do premiado Jack Dann Inversão do Tempo, que propõe respostas surpreendentes para uma pergunta perturbadora: e se todos viajassem no tempo, menos você? 




Resenha: 

Esse livro reune diversos contos de vários autores consagrados de ficção científica. Alguns, poucos, eu conheço, bem como a Ursula K Le Guin, Arthur C. Clarke, Ray Bradbury, enfim entre tantos, só alguns mesmo.

Antes de começar os contos temos uma breve introdução de um dos organizadores do livro e que também são escritores de ficção científica.

Cada história é bem diferente, não só no tamanho, mas também se é no passado, no presente ou até no futuro...rsrsrs

Aqui vai o resumo dos contos que eu realmente gostei.

Ontem foi Segunda-feira:

Viajar no passado e descobrir que o passado não existe mais é um tema popular do gênero. "Ontem foi Segunda-feira", um de seus contos mais reimpressos, é também uma das primeiras histórias de viagem no tempo publicadas após a era pulp, onde a ênfase não indica tanto na ciência quanto na estranheza. Nela, o sentimento do surreal é captado com perfeição. O fato de o protagonista ser uma pessoa comum, e não um cientista ou inventor, que acorda em seu próprio passado constitui uma mescla inusitada de viagem no tempo e fantasia.

Estou com medo:

É um dos clássicos de Finney, a história de um homem comum (como em muitas de suas obras) às voltas com um episódio de terror espacial que o leva à única saída possível. Como em muita ficção especulativa da década de 1950, a ênfase não recai tanto em explicações técnicas ou teorias científicas quanto na evocação das atitudes e do cenário. Essa talvez seja a razão pela qual o silenciou clima de terror se entretece completamente com o tema da história: a saber, que não existe explicação para os acontecimentos descritos.

Um Som de Trovão:

Foi uma das primeiras histórias a extrapolar um evento do passado que muda o futuro de um modo inimaginável. Se uso da famosa borboleta tem um corolário na Teoria do Efeito Borboleta, postulada inicialmente em 1963 e aperfeiçoada em 1972, embora as asas de seu inseto tenham tido um efeito bem mais permanente no universo de sua histórias.

A Nave da Morte:

Um tema muito explorado nas histórias de viagens no tempo é o do protagonista que encontra a si mesmo no futuro ou no passado. "A Nave da Morte", de Matheson, leva a ideia um passo adiante, fazendo os heróis exploradores do espaço do conto se depararem com eles próprios num tempo futuro perigoso. Essa história foi um dos episódios da série televisiva original Twilight Zone, em 1963, com Jack Klugman e Ross Martin no papel de dois dos astronautas.

Rainbird:

É uma das primeiras histórias de R. A. Lafferty, mas já mostra as amplas influências que moldariam sua ficção futura. A ideia de voltar ao passado para "corrigir" enganos que seriam cometidos pela pessoa raramente foi explorada com tanta vivacidade e imagincação quanto na aventura de Rainbird e seu "retrogressor". Lafferty, é claro, também tece um comentário oblíquo sobre o que pode acontecer quando alguém decide mexer demais com o passado.

Projeto de Aniversário:

É uma das poucas histórias, nesta coletânea, que descrevem uma viagem ao futuro - viagem que, nas mãos de Joe Haldeman, se torna realmente fascinante. Como foi publicada em 1975, os acontecimentos então recentes da Coreia, Vietnã e anos seguintes desempenham um papel surpreendente no desenrolar da trama, embora a maior parte da ação ocorra um milhão de anos no futuro.

Outra História:

Que se passa no mundo de seu ciclo Hainish, é uma chave apropriada para fechar este livro, com a ideia de viagem no tempo veiculada por meio de um tema comum de Ursula K Le Guin, o do folclore local. Ela combina elementos do passado, do presente e do futuro numa visão homogênea que também, como muitas destas histórias fizeram, explora um sonho longamente acariciado pelos homens: a capacidade de voltar e corrigir os erros cometidos.

Esses foram os contos que gostei, que achei a história concisa e muito bom. Creio que para quem gosta de ficção científica vai amar muitos dos contos e sim eu recomendo muito. Cada história é única e passa o que cada autor que nos mostrar.

Um comentário

  1. Oie Raquel!
    Adoro livros de ficção, e viagens no tempo é um dos meus temas favoritos!!
    Adorei a resenha e com certeza colocarei na lista de leitura!
    =D

    ResponderExcluir