Resenha: Perdão Mortal - Robin LaFevers

Autor: Robin LaFevers
Páginas: 408
Ano: 2015
Editora: V&R Editoras Brasil
Adicione: Skoob
 
Sinopse: Perdão Mortal - Por que ser uma ovelha, quando você pode ser o lobo? Ismae Rienne, dezessete anos, escapa da brutalidade de um casamento arranjado no santuário do convento de São Mortain, onde as irmãs ainda servem deuses antigos. Lá ela aprende que o deus da Morte abençoou-a com perigosos dons e um violento destino. Se ela optar por ficar no convento, será treinada como uma assassina e servirá a Morte. Para reclamar sua nova vida, deve destruir a vida de outros. A mais importante atribuição de Ismae leva-a direto para o tribunal superior da Bretanha—onde se encontra terrivelmente sob preparada não só para os jogos mortais de intriga e traição, mas pelas impossíveis escolhas que deve fazer. Como entregar a vingança da Morte em cima de um alvo que, contra sua vontade, roubou seu coração?

Resenha:

"Eu tinha uma grande mancha vermelha que ia do ombro esquerdo até o quadril direito, uma trilha deixada pelo veneno qu a minha mãe usou para tentar me expelir do seu útero. Segundo a curandeira, não foi milagre eu ter sobrevivido, mas um sinal que eu tinha sido gerada pelo próprio Deus da Morte."

Esse foi um livro que comprei pela capa, sem me dar conta do que era o assunto! Quando comecei a ler, foi que me dei conta de que: 1º eu não gosto de medieval (que professora de História eu sou! Meu negócio é a parte clássica, não tem jeito) e 2º eu passo longe do que quer que seja relacionado a religião para leitura, seja o tipo que for. Nada contra, é só que eu gosto das fantasias mesmo. Então eu compro um livro de uma série baseada em um convento! Tá né...

Pois eis que, para minha surpresa, mais uma vez eu vi que o pré julgamento arraigado em meu ser estava errado! Já falei que tenho que parar de formar pré conceitos....

Então, depois do desabafo, vamos à resenha....

O livro é o primeiro da trilogia O Clã das Freiras Assassinas, que trás Ismae no papel principal. A narrativa começa com a menina sendo levada à um casamento, com um homem insuportável. Um casamento arranjado por um pai que a odeia. Sua mãe a muito se fora. Morreu com um sentimento de culpa enorme, motivo: quando grávida tomou veneno para abortar a filha. O que, obviamente, não deu certo, mas causou uma enorme cicatriz nas costas da menina, o que a fez crescer traumatizada e marginalizada.

Pois ao "enfrentar" a noite de núpcias, seu pretenso marido vê a  cicatriz e a rejeita, a tranca num porão e então...a história começa!!!

Ismae é levada ao Convento, lá descobre que seu pai não é seu pai, que ela é filha da Morte. Que é o "deus" venerado no Convento, Mortain.

"Não é do santo que desconfio, demoiselle, só dos humanos que interpretam Seus desejos."


Então, ela aceita quem é e dá início ao seu treinamento de Assassina. E aí, analisando e não muito profundamente a obra, me deparo com uma pergunta: De onde raios saíram as freiras? Sério gente, elas treinam as noviças para matar, sempre por ordem de Mortain ou pelas visões de uma das freiras. Onde é concebível existirem freiras treinadas nas mais diversas artes de matar, lutar e seduzir???!!!! Provavelmente é por isso que todos pensam que o tal Convento é um mito e as noviças não existam...

Mas elas existem e enfim Ismae termina o treinamento e é mandada para sua primeira missão, que executa perfeitamente!

"Ele me deu vida, e tudo o que eu precisava  fazer para servi-Lo era viver."

Então ela é enviada para uma segunda missão, e essa a leva diretamente para uma trama que pretende  acabar com a duquesa da Bretanha. Lá ela conhece as tramóias, as mentiras, as manobras políticas e tudo o que envolve uma coroa e os que a rodeiam. Ou almejam! Então, no meio disso tudo, eis que surge o mocinho para salvá-la certo???? Claro que não! Onde haveria lugar para um homem na vida de uma menina que cresceu sendo humilhada por um, foi vendida para outro e aprendeu a odiar todos os outros como parte dos ensinamentos do Convento? Ah Graviel.....

"Nós dois estamos presos a outros deveres, outros santos. Nosso coração não é nosso."

Ela foi enviada para o palácio com Duval, seu suposto primo, eles criam uma antipatia mútua logo de cara. Ele por não querer levá-la e ela por não querer aquele "bruto" como acompanhante. mas como os desígnios de Mortain são inquestionáveis ela aceita essa missão, aí falar sem dar spoiler fica difícil....

Bom, ela vê que nem todas as ordens são inquestionáveis, aprende que pode sim confiar nos homens, está bem, em alguns, descobre que a vida não é feita só de inimigos, aprende a nutrir carinho e amizade, e claro, aprende que existe amor, mesmo para uma serva da morte!

"- Quando você estiver pronta, ou mesmo se nunca estiver, meu coração pertencerá a você até que a morte nos separe. O que quer que isso signifique quando você está se comprometendo com uma das servas da Morte." 

Em uma epifania guiada por seu próprio pai ela enfim, descobre e entende qual o seu papel no mundo que vive e qual o papel do Convento e das noviças. Ela salva a vida do seu amado e a Coroa.

"Pois, embora eu fosse a filha da Morte e caminhasse em suas sombras escuras, às vezes as trevas podiam ceder espaço para a luz."


Uma coisa que eu gostei muito foi que, apesar de ser uma série o livro tem começo, meio e fim, a história não ficou solta, com uma continuação que nos deixa ansiosos pelo próximo, ele termina e termina de forma coerente com o todo! E ainda assim, nos deixa sim ansiosos pela continuação! O livro não tem um ritmo parado, é bem dinâmico, gostoso de ler!


Ao ver esse livro, imediatamente quis lê-lo e como a minha paciência não existe...corri  à Amazon e comprei no mesmo dia que lançou.

Os livros que eu gosto muito, muito ou os que eu aguardo com a mesma intensidade, compro para o Kindle, por que assim sempre os terei à mão....e aí está o tão esperado Perdão Mortal para a minha coleção!


22 comentários

  1. Nossa Denise!
    Que livro forte!
    Não conhecia, mas fiquei bem curiosa para ler
    Amei as citações e sua resenha.

    Te indiquei em uma TAG
    Passa lá no blog!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  2. Gente, nada como uma boa surpresa né? Ter zilhões de características que poderiam fazer vc não apreciar a leitura e ainda assim, vc se rende porque o livro é bom. Amo qdo isso acontece!!!
    Adorei sua resenha!!!

    ResponderExcluir
  3. Eita. que livro hein.
    Fiquei curiosa, adorei a resenha.

    Beijos!
    www.apaixonadaporleiturass.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Gente! Que livro sinistro, de freiras assassinas!
    Menina, a história deve ser muito boa, preciso ler.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  5. Denise.
    Em breve resenharei esse livro também, eheh.
    Eu terminei ele ontem e fiquei simplesmente apaixonada.
    Já quero o resto da trilogia que fala sobre as outras meninas do convento, mas ao msmo tempo queria mais uns quatro livros só sobre Ismae e Duval.
    Livro perfeito, supriu todas as minhas expectativas.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Denise.
    Nossa que livro é esse gente. Eu também não gosto de ler nada que envolva algum tipo de religião porque sempre o autor puxa sardinha para o lado da religião que ele acredita. Mas pelo que pude ver aqui, não tem muito a ver com religião não e mesmos endo chamadas de freiras, elas não fazem jus ao nome hehe. Já quero ler ele.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Olaaa,

    Que livro impactante heim, eu confesso que também tenho meus pre conceitos porem de tempos em tempos eu tento quebrar ele, mas ainda não consegui encontra um livro que fizesse isso.
    Quem sabe esse né?

    Beijos
    Kah Fernandes
    http://booksandcarpediem.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    muito bom quando os livros nos surpreendem, eu tbm tenho meus preconceitos literários e por vezes acabo sendo surpreendida. Eu adoro fantasia, história medieval hahaha, leria esse livro fácil fácil, ainda mais pelo fato de que, ao que me parece, a protagonista vai se conhecendo ao longo da história, o que eu adoro. Bjs!!!
    http://www.lendoaestante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Ahhh eu preciso começar esse livro! Desde que descobri o lançamento, eu fiquei com vontade. Só fico imaginando tudo o que essas freiras irão aprontar kk
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  10. Denise, acho que você é a primeira pessoa que eu vejo falando que compra o livro em ebook porque gostou muito. Na maioria das vezes acontece o contrário, a pessoa lê em e-book e se gostar muito compra o físico. Achei interessante :)

    Quanto à história, já tinha escutado falar mas não procurei saber mais sobre a história, achei interessante a parte do convento e da história da principal, mas a sensação que eu tenho é que no fundo não passa de um romance água com açúcar (e eu costumo não me dar bem com livros assim...).

    Mas quem saber um dia eu não dê uma chance e acabe quebrando os meus pré conceitos como você também quebrou, né?

    Beijos!
    Um Metro e Meio de Livros

    ResponderExcluir
  11. Olá, gente!!!! como fiquei instigada a ler esse livro, também não gosto de livros medievais mas esse me pareceu muito interessante mesmo, pela sua resenha ele já conseguiu me conquistar, espero poder ler também, beijos

    ResponderExcluir
  12. Adoro livros que são ambientados na época medieval, mas freiras que servem um "deus" que pelo jeito é a personificação da morte e são assassinas é demais pra minha cabeça... e como é, ela é filha do tal do Mortain? Então tá, né... por mais que você tenha se surpreendido e gostado, não tenho nenhuma vontade de ler.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  13. Olá flor!
    Quero muito esse livro, tipo, muito. Adorei a ideia de a menina ser filha do Deus da Morte e acho que vou gostar muito da leitura, pois faz meu gênero.
    Beijos
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi Denise, eu não conhecia o livro ainda mas confesso que fiquei super curiosa por essa trama que parece extremamente cativante. Achei muito bacana o assunto do livro, e ainda mais por ser de um convento hahaah. Ótima resenha!

    beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  15. Que capa linda.
    Também compro o livro pela capa e até agora não me arrependi..hahahahah..graças a Deus..hahaha. E o que é essa história??? Meio maluca, mas me cativou...hahaha. Já coloquei na minha lista.

    beijos

    ResponderExcluir
  16. De! Tambem confesso que compraria de primeira essa obra pela capa é maravilhosa mesmo, e o título e o nome da série é mega chamativo! Ele está na minha lista, ler resenhas positivas está me deixando ainda mais curiosa! Beijos
    Paulinha - Overdose
    http://overdoselite.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Eu quase comprei esse livro pela capa também. E como você, não sou de ler esse tipo de história. Mas é tão bom quando lemos algo fora do nosso estilo e que nos surpreende positivamente, não é mesmo?
    Penso que todos os livros deveriam se manter sozinhos, sendo de séries ou não e foi bom descobrir que com esse é o que acontece. O livro já tinha uma capa linda, e esse detalhes me fez ver que é preciso dar uma chance ao livro.
    Entrou na minha lista pela capa, mas vai permanecer pela sua resenha :)

    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  18. Oi Denise, não conhecia o livro e assim como você tenho pré conceito com o gênero medieval. Contudo ao ler sua resenha vi que a história é bem interessante e que a vida da protagonista embora difícil será algo admirável para uma mulher e freia, rs. Anotando a dica.

    Bjs, Glaucia.
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir
  19. Olá!

    Esse é o tipo de livro que eu leria, achei a história que se passa no convento bem interessante. Eu tenho a mesma mania que você, vivo compro títulos que eu já tenho na estante para o meu Lev, ótima resenha!

    Abraços, Heitor Botti
    shakedepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Olá.
    Tudo bom?
    Nossa eu jurava pela capa que o livro seria algo bem diferente e me surpreendi muito lendo sua resenha. Nunca li nada onde freiras treinam as noviças para matar, fiquei abismada e com uma vontade louca de ler o livro.
    É bom saber que a história não tem pontas soltas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Confesso que se eu visse por aí eu não daria importância. Mas é realmente péssimo julgar uma obra sem ao menos conhecer. Já fiz várias vezes isso e como me arrependo kkkk. Mas achei esta história muitooo diferente e bem interessante. Gosto desse tipo de leitura e dica anotada.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  22. Olá

    Não lembro de visto esse livro antes,achei a capa bonita e adorei a premissa, freiras assassinas acho que nunca vi isso no livro,fiquei curiosa pra saber qual a função da Ismae na estória, gostei da resenha.

    Bjss

    ResponderExcluir