5 Razões para assistir Greys Anatomy

15 de abril de 2018

Diretor ou produtor: Shonda Rhimes
Ano Início: 2005
Ano do Término: Em andamento
Temporadas: 14 temporadas - 310 episódios (até outubro de 2018)
Gênero: Drama, Drama Médico, Comédia Dramática
Nota:      
Sobre a série:  Greys Anatomy é uma série de televisão americana de drama médico exibida no horário nobre da rede ABC.

No dia 19 de fevereiro de 2017 a ABC informou que a série foi renovada para a décima quarta temporada, que estreará na TV no dia 28 de Setembro.
No dia 17 de Janeiro de 2018 a atriz Ellen Pompeo informou a renovação de seu contrato e que a série terá mais 2 temporadas, no total 16 temporadas. 




"Você veio como um sopro de ar puro, como se eu estivesse me afogando e me salvasse."

Depois de chegar a 5ª temporada da série, após inicia-la a menos de dois meses, decidi compartilhar com vocês minha experiência sofrida e feliz com essa produção que é uma verdadeira febre no Brasil desde 2005.

E se tratando de febre, provavelmente você ama ou odeia. Afinal, toda hora tem alguém falando sobre, toda hora tem alguém dizendo que se formou em medicina em Greys e tantas outras infinitas piadas internas sobre a série, acaba fazendo com aqueles que não assistiram criem o famoso RANÇO sem nem ter visto.

Como eu fazia parte desse seleto e excluído grupo que detestava a série pelo que ouvia, decidi escrever para você que também detesta a série, sei que posso estar falando para um monte de gente que também não sabe o que está perdendo sem assistir essa maravilha.

Lembrando que, ainda posso fazer você detestar Greys Anatomy ainda mais com meus falíveis argumentos, pois o que me fez amar pode te fazer odiar e convenhamos, mesmo assim estou tentando, então comenta aqui no final o que achou.

O que vi de Greys Anatomy...

Grays Anatomy é aquela série sobre hospital que mostra, de forma um tanto glamourosa, os dramas pessoais e a rotina de jovens internos de medicina, no hospital Seattle Grace. O centro da trama é uma verdadeira teia de fatos sobre a vida de Meredith. Inevitavelmente, se você curtiu Plantão Médico (estréia em 1994), provavelmente gostará de Greys.

Apesar de possuir um personagem principal, essa série não se tornou cansativa pra mim, o que geralmente acontece com séries longas que possuem um personagem principal que rouba as cenas pra si. O que aconteceu com House (não me odeiem por isso).

Uma série hospitalar geralmente não se distancia tanto do cenário principal, o hospital. O que me levou a não curtir House, foi exatamente o que consagrou a série: o egocentrismo do Dr House e ser quase ou totalmente técnica. Porém, por ser mais técnica, em House os estudos de caso me pareceram bem mais complexos e completos que em Greys, onde o foco me parece New Adult e as técnicas apresentadas estão ali pelo contexto “crescimento pessoal”, o que pode ser ponto positivo ou negativo para ambas, dependendo do que te interesse numa trama.

Depois de muito relutar contra Greys, decidi que ia assistir e não parei mais. Então note, até aqui já citei 3 séries médicas bem legais, então vamos as razões que me fizeram amar a série e criar, especialmente, um top 5 (já que estou na quinta temporada) para vocês.

Razão 1 – Narrativa da introdução dos episódios
Todo início de episódio um personagem, na maioria das vezes a Meredith, faz uma reflexão de acordo com o que veremos no episódio que se inicia. Essas narrativas são muito interessantes, pois trazem alguns questionamentos que inevitavelmente nos leva a refletir, concordar ou discordar, podendo fortalecendo o senso crítico. Apesar de variar de episódio para episódio, pode-se dizer que as narrativas tem sempre uma pegada ácida, sarcástica, dúbia, conclusiva, triste ou alegre. De qualquer forma, as narrativas são sempre sensacionais e eu adoro!

Sobre sinceridade...
Razão 2 – Emponderamento Feminino
Cheio de representatividade feminina, em G.A a mulher é o que quer ser. Elas tem autonomia, são donas de si, são assertivas, assumem as consequências de seus atos e se respeitam (na maioria das vezes e quando não, aprendem que não é a forma mais certa). Vemos provas de amizade e parceria, bem como um enorme jogo de cintura e influência de mulheres em cargos de chefia! Mostra claramente o preconceito velado que a mulher sofre simplesmente por ser mulher, ou quando tem um filho e por isso sua capacidade é posta a prova. Assim, vemos muitas brigas e posicionamentos firmes para quebrar esse tipo de pensamento! Só por essa razão a série toda já vale muito. Sororidade, empatia e representatividade feminina deveria ser o sobrenome de G.A.


Elas dançam...
Razão 3 – Trilha sonora
As músicas são perfeições encaixadas em cada ponto alto, apenas para nos desidratar. Não vou me prolongar nesse ponto, vou apenas deixar provas:
Unlike Me - Kate Havnevik
Breathe (2am) - Anna Nalick (vídeo com spoiler - cena que a música toca)
How to Save a Life - The Fray




Razão 4 – Te ensina sobre perdas
Aqui está um ponto que pode te fazer odiar ou engatar a série. Todos os personagens que você vai aprender a amar, podem deixar a série sem nem te avisar ou morrer. Acha que só quem assiste sofre? Não, os personagens sofrem e nós sofremos juntos. Entretanto, da mesma forma que eles aprendem a lidar com a perda, deixa espaço para aprendermos junto com eles. Se você tentar, pode até amadurecer um pouco com a série, pois ela não será como você quer, será como tem de ser. E isso me lembra uma palavra: VIDA. HAHAHA A vida segue seu curso e não temos controle do que acontece. Logo, G.A ensina que a série, digo, a vida, não é do jeito que você quer... rs


Razão 5 – Miranda Bailey
Sempre com os melhores sermões...
Ela é a personagem que mais amo na série. É forte, decidida, sobe nas tamancas, se impõe e muitas vezes passa a imagem de alguém dura, fria e sem coração. Mas a Bailey é um verdadeiro “mulherão da porra”, que por culpa de um sistema machista, precisa vestir a capa de durona para não permitir que ninguém faça dela o que bem entende. Com a Bailey você aprende, literalmente o uso do termo “aqui o buraco é mais embaixo”. rs


Sempre as melhores conclusões...
Conclusão: Pra mim, esses são os pontos mais fortes de G.A, não poderia deixar de dizer que a realidade hospitalar de primeiro mundo relatada ali, não é nem de longe a realidade dos hospitais de verdade aqui no Brasil.



Além disso, uma GALEEEERA acha que a área médica, bem como qualquer função dentro da área hospitalar, pode ser como na série. Não, não é. E na prática, só pra ilustrar o que estou dizendo, relação de estagiário ou interno com seu superior, por exemplo, é antiético e passível de punição.

Não acontece? Pode acontecer, mas a série é ficção, muitas vezes apresenta a exceção, não a regra. E na vida real, a regra é dura e você pode perder a credibilidade e o respeito por se relacionar com alguém dentro do período de trabalho. Então não se iluda. Apesar desses “contras”, as superações, medos e demais emoções retratadas, são bem próximas de nossa realidade, essas sim podem ser espelhadas na vida!

Espero que vocês curtam essa dica e se curtiu, comenta aqui em baixo o que achou! Fechado?

Bjs e boa série!

Ah...quer ir escutando as músicas enquanto lê a resenha???? Lá vai...







Trailer da primeira temporada


6 comentários

  1. Oi, Jéssica.

    Preciso aproveitar o meu tempo livre para assistir séries também... Coisa que eu não tenho feito há um bom tempo.

    Há 3 anos, uma amiga me indicou "Grey's Anatomy" e até hoje nada, eu tô só enrolando pra assistir. Vou ver se eu começo a assistir hoje ou na próxima semana! ^^

    ResponderExcluir
  2. Devo começar a terceira temporada amanhã(se tudo estiver à meu favor no dia de hoje e conseguir concluir a que estou vendo, Tabula Rasa)rs
    Comecei Grey's já meio que sabendo o que iria encontrar e tô aqui, me dobrando em mil para tentar ver todas as temporadas, que aliás, são enormes..rs
    E a lista de séries que já vejo diariamente não colabora.rs
    Amo a trilha sonora e claro, os personagens e também amo o jeito durão da Nazista.rs
    Super recomendo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oi Jéssica.
    Não odeio, nem amo a série, já escutei milhões de comentários sobre ela, alguns até me incentivando a assistir, outros desanimando. Só não me arrisquei com ela ainda porque é tão looooonga, e se eu me empolgar não terei tempo para ver tudo, rsrs.
    Gosto bastante do elenco escolhido, tanto do original, quanto de alguns que vi sendo encaixados na série, são boas escolhas!
    Quando tiver tempo irei ver sim, ah, adorei as músicas escolhidas, só pelos pequenos vídeos que vejo dá para ver que a trilha sonora é um arraso.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá Jéssica!
    Eu via episódios diversos da série mas faz mto tempo já, preciso retomar do zero pois gostava mto de acompanhar.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Oi Jéssica.
    Eu gosto muito dessa série e concordo com todos as suas razões para assistir a série.
    O que me deixa um pouco triste é que o elenco está sempre mudando ou morrendo rs. Vários personagens que eu gostava acabaram saindo da série por diversos motivos e deixou uma certa saudade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Jéssica!
    Confesso que já ouvi falar muuuuito dessa série e realmente acho a história interessante, com todo o empoderamento feminino e a própria questão médica me interessam (apesar de que saber que vou amar o personagem e ele vai morrer não ajuda tanto asuhasuhas). Mas são taaaantas temporadas que sempre desisto na hora de assistir. Quem sabe um dia ahauhaah
    Bjs

    ResponderExcluir