Luz, Câmera, Acão! The Sinner - Série Original Netflix

27 de dezembro de 2017

Título: The Sinner - Original Netflix 
Criação: Derek Simonds 
Ano: 2017
Temporadas: 01
Gênero: Série Policial/ Drama/ Thriller Psicológico/ Suspense
Classificação: 16 anos
Estrelando:
Jessica Biel como Cora Tannetti
Bill Pullman como Harry Ambrose
Christopher Abbott  como Mason Tannetti
Nota:   
Sinopse:
Cora Tannetti matou um homem em um lago, durante um dia ensolarado, diante de sua própria família e de outras testemunhas. Por que? O que poderia ter levado essa jovem mãe, quieta e amável, a esfaquear um estranho repetidas vezes, até ser retirada a força do local? Para a polícia o caso parecia simples. Cora confessou e havia inúmeras testemunhas. Contudo, o inspetor Harry Ambrose se recusou a fechar o caso e deu início à sua própria investigação. Foi assim que começou a lenta revelação sobre o passado de Cora, a jornada de uma jovem em direção ao próprio inferno.


Resenha:



A série conta a história de Cora, uma mulher aparentemente acometida por algum transtorno, que se automedica para dormir e até para transar. Além disso, as cenas nos mostram que a protagonista está em um relacionamento desgastado, com um marido pau mandado de sua sogra e tal atitude a atinge diretamente, pois parte da criação de seu filho acaba por ser responsabilidade dessa sogra. Acho que só de ler isso você já começa a imaginar que a trama segue por esse caminho, mas o que posso adiantar, soando bem clichê é: Nem tudo que parece é!

Como a sinopse já entrega, a história toda fica cada vez mais intrigante após Cora matar um cara desconhecido, aparentemente depois de entrar numa realidade paralela. Como assim realidade paralela? Cora fica com o olhar perdido ao ouvir uma música, olhando de fora, a música lhe soa como um gatilho e o que parecia ser apenas um dia normal no lago, se torna a cena de um crime terrível.


Big Black Delta - Huggin & A Kissin  
Música Gatilho de Cora

Após o ato descompensado e frio, afinal, são 7 facadas e uma frase “tudo vai ficar bem”, dita por Cora a namorada do rapaz morto. Sim, aparentemente a jovem agiu por sentir que precisava defender a menina (que não estava em perigo). A situação está bem clara e é só ligar os fatos. Mas uma das coisas que mais gostei nessa série, são as surpresas que precedem as certezas que os próprios fatos mostram. Entretanto, o que a teria levado a cometer tal crime?
Com um peso psicológico enorme e uma sacada genial, The Sinner, traz para o espectador algo muito maior que o imaginado. Fugindo do óbvio e descartando clichês. Bem, se você já assistiu The Night Of por exemplo, The Sinner pode não surpreender tanto quanto surpreenderá novatos como eu até então, mas ainda assim te mostrará algo além da expectativa causada.

Criada por uma mãe extremamente tóxica e abusiva, vemos as ações ruins praticadas pela mãe de cora na infância, principalmente a culpa que lhe atribuía, se repetirem no comportamento e percepção da protagonista, como se fossem repetições inconsciente. Se por um lado ela não sabe o que a levou a cometer tal crime, por outro aceita sem contestar a punição proposta, a morte.

Aos poucos, a sensação de indignação pelo ato cometido por Cora, perde espaço para a pena. Motivada ou não, a intensidade perdida do olhar de Cora parte o coração de qualquer um a medida que as cenas intercalam entre seu passado e o presente. Deu vontade de ajudar aquele olhar perdido retornar pra realidade.

Sorte que o detetive Ambrose, antagonista que divide as cenas de forma generosa com a protagonista, percebe que há algo além de um crime hediondo por trás da ação de Cora, pois o que havia nos olhos dela também habita o coração dele: alguém que sofreu algo e transfere o pecado cometido para uma relação insana de dominação, punições e alguma dor (sim, o detetive é adepto duma relação hard core as escondidas). Ele reconhece em Cora os seus demônios, suas mentiras e sua própria dor, e esse ímpeto em ajuda-la parece uma tentativa de reconciliação consigo. Independente da interpretação que o caso dela sugere, ele mergulha no passado de Cora motivado APENAS em ajudá-la.

A série não me parece que teve intenção de naturalizar ou ignorar um crime, sim que tudo tem um motivo, uma razão por trás do óbvio, o que não minimiza o peso de um ato cruel. Porém, tem a intenção de mostrar que qualquer tipo de condenação não deve ser julgada superficialmente. Uma série de acontecimentos negativos não minimizam a crueldade de um crime, mas o direciona para algo além do óbvio: o PORQUE. E com base no Porque, cabe a condenação correta para o crime praticado.

Incrível, real, sensível, duro e SIMPLES! Sem dúvidas, essa foi a melhor série que assisti em 2017! Agora aguardo ansiosamente que uma merecida segunda temporada seja lançada e que foque nos demônios de Ambrose, pois o final foi ótimo e deixou uma pitada de curiosidade acerca da vida do detetive. Apesar da montagem atual ser uma Mini Série, o criador Derek Simonds não descarta a possibilidade de lançamento da segunda temporada.

É interessante ressaltar que essa maravilha também é livro! A história foi baseada na obra The Sinner (1999) da escritora alemã Petra Hammesfahr. Para quem já está lamentando que não conhece o livro que citei, trago mais uma feliz notícia: O livro foi lançado em terras tupiniquins em 2011 pela editora Novo Século com o título em tradução literal, A Pecadora.


The Sinner - Trailer Dublado

9 comentários

  1. Nossa, eu assisti essa série e não havia lido nenhuma crítica mais aprofundada até agora. A descrição do marido da Cora eu achei um pouco injusta, não tive essa percepção de que ela estava num relacionamento fracassado; na verdade, eu achava que ela tinha alguma barreira que não a permitia continuar. No caso, o lapso de memória e uma cicatriz de um passado traumático.
    Também amei a série, mas sinceramente, tive a impressão de ter achado furos no roteiro. Afinal, a irmã dela, Phoebe, é dada como morta nos primeiros episódios... E ninguém parece falar dela, o que eu achei estranho. Ou talvez tenha sido uma distração da minha parte.
    Não sabia que havia um livro, incrível! Vou dar uma olhada... Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Puxa, só tinha olhado a capa desta série nos sites que vou e nem tinha parado para ler do que se tratava,mas depois desta crítica, já vou por a danada na fila.
    Isso de brigar com quem somos, desses fantasmas que todos nós trazemos dentro de nós é algo que me fascina e amedronta.
    E sinceramente ganhei meu dia levando essa indicação, mesmo com minha fila de séries estando quilométrica, esta está indo agora para ela!rs
    Obrigada!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Tava pensando em ver essa série, mas não tô com clima pra umas coisas assim. Acho legal livro do tipo, série mesmo raramente vejo. Mas vou deixar na lista. Só preciso ver quando estiver num clima melhor ou procurando umas coisas do tipo. Parece boa. Vou tentar dar uma olhada nesse tal livro também.

    ResponderExcluir
  4. Jéssica!
    Agora que tenho a Netflix, fico anotando as sugestões de séries boas e que poderão me agradar, como essa, porque gosto do tema quando tem algum transtorno mental e ainda tem crime, deve ser intrigante.
    O problema é... maridão deixar assistir, porque ele fica colado na Netflix assistindo as séries que ele gosta e com certeza essa é uma que não o agradaria.
    De qualquer forma, valeu a indicação.
    Um Novo Ano repleto de realizações!!
    “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.” (Carlos Drummond de Andrade)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Bom, eu amo assistir serie, mas não tinha ouvido fala dessa. A premissa é muito boa, um suspense e mistério que deixa ao espectador curiosa para saber o que ocorrerá. Umm, quem sabe eu assista né!

    Meu Blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  6. Amo séries e essa parece incrível! Não suporto mais aquelas clichês, assim essa parece sensacional. Equilibra suspense e mistério muito bem. Vou maratonar assim que puder

    ResponderExcluir
  7. Uau, parece ser surpreendente. "Nada é o que parece" é um pouco clichê atualmente, mas não perde a graça tentar entender o que realmente é. Estou um pouco curiosa para saber o que levou Cora a assassinar, embora já tenha minhas suspeitas.

    ResponderExcluir
  8. EU adorei essa serie. Achei muito inovadora. O ruim e que a continuacao deve demorar muito tempo pra sair

    ResponderExcluir
  9. Oi, Jéssica!!
    Nossa como ainda não assisti esse série incrível na netflix?!! Sou apaixonada por thriller psicológico, suspense e séries policiais. Mas infelizmente ainda não tive oportunidade de ver essa, mas agora nas férias vou querer descobrir o que leva uma mulher, mãe e esposa a matar alguém que ela nem conhecia.
    Bjoss

    ResponderExcluir