Resenha: Psicopatas do Cotidiano - Katia Mecler

Autor: Katia Mecler
Páginas:253
Ano:2015
Editora: Leya
Gênero: Psicologia, Não-ficção.
Adicione: Skoob
Onde Comprar:Amazon
Nota:     
Sinopse: Diz o ditado que de perto ninguém é normal. E, de fato, basta parar um minuto para observar o seu entorno e você vai identificar aquela pessoa que é instável demais, outra que é inflexível demais, outra ainda que é teatral ou insegura ou arrogante ou submissa... Os desvios são muitos, e estão sempre à nossa volta. Às vezes são apenas características individuais, que não preenchem critérios para diagnóstico psiquiátrico algum, mas outras vezes são comportamentos repetitivos, peculiares e disfuncionais que causam danos físicos e psicológicos às próprias pessoas ou para aquelas que estão ao seu redor. Este livro identifica estes que são os psicopatas do cotidiano e explica em detalhes as características que levam essas pessoas a agirem assim. Para quem tem um deles ao redor, será uma oportunidade única de descobrir mecanismos que ajudem a manter a própria integridade, física ou psicológica, sem abrir mão da convivência.

Resenha: Você já ouviu aquele ditado "De médico e louco, todo mundo tem um pouco"? No livro da autora Kátia Mecler, Psiquiatra Forense,essa frase faz todo o sentido,pelo menos a parte do "louco".
"Nascemos com a semente do bem e do mal,mas como elas vão germinar,crescer e dar frutos depende de uma série de fatores que irrigarão a nossa existência."
Ninguém é igual ao outro, e vez ou outra observamos traços peculiares sobre determinada pessoas,seja no chefe autoritário e ditador, no namorado possessivo e ciumento,ou naquele amigo narcisista, todos demonstram algum traço mais marcante. Mas quando ele a passa a ser um transtorno de personalidade?
"Eles estão à sua volta, e não percebem o sofrimento que causam a si próprios e a quem tem que lidar com eles- são os psicopatas do cotidiano."
No livro, iremos encontrar três grupos divididos em A,B, e C e suas respectivas subcategorias:
Grupo A: Esquizoide: "Não levaria ninguém para uma ilha deserta."
                Esquizotípico:"No limite."
                Paranoide: "De olhos bem aberto".

Grupo B: Antissocial: "Os fins justificam os meios."
                Borderline: "Por um fio."
                Histriônico: "Minha vida daria uma novela".
                Narcisista: "Sabe com quem está falando"?

Grupo C: Dependente: "Por você eu largo tudo."
                Evitativo: "Na moita".
                Obsessivo-Compulsivo: "Linha dura".

Dividindo-os assim em grupos, a autora descreve cada personalidade de uma forma clara e objetiva sem que seja preciso sabermos qualquer termo médico ou científico.E o que é mais legal: além de personagens fictícios para cada transtornos,ela dá exemplos desses transtornos em filmes, músicas e personalidades conhecidas.
"Você é um trem que vai pra onde não importa Você ama sua existência infernal Dinheiro é tudo que deseja"(Letra da música Antissocial banda Anthrax.)
Mas longe de nos isolarmos ou mesmo deixar de nos relacionar com qualquer dessas pessoas com transtornos de personalidade, a autora nos mostra e até mesmo nos dá dicas de como conviver com cada um deles sem que haja atritos, pois eles não irão mudar e isso é fato.O melhor é nos adaptarmos e levar a convivência o mais fácil possível.
"Como lidar com quem apresenta traços evitativos? Fidelidade e carinho são as palavras de ordem,pois essas pessoas precisam se sentir valorizadas,principalmente em seu pequeno círculo social. Se você faz parte desse seleto grupo,aceite-as como elas são, sem tentar incentiva-las ostensivamente a deixar o casulo."
Antes da leitura desse livro, não havia identificado a maioria desses transtornos, e nunca achei que qualquer pessoa da minha convivência pudesse ser considerado "psicopata",pois sempre achei que  o termo "psicopata" fosse mais usado em pessoas que te manipulam,são frias e enganam os outros. Mas após a leitura pude ampliar não só o meu conhecimento, como também pude identificar alguns desses tipos no meu cotidiano e consegui aplicar algumas das dicas que a autora nos dá. Passei a sofrer menos com tipo narcisista por exemplo,pois esse  tipo era/é um dos que mais me irritam, e no nosso ambiente de trabalho sempre tem um assim.

Sou suspeita para indicar esse livro pois é um dos meus favoritos, mas se você tiver uma oportunidade, leia sim. Vai ser uma boa experiência.

Nenhum comentário

Postar um comentário