O Homem de Areia - Lars Kepler

15 de dezembro de 2018

Título: O homem de Areia
Autor: Lars Kepler
Páginas: 456
Ano: 2018
Editora: Alfaguara
Gênero: Mistério, Policial
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse:
O homem de areia conta a história de um serial killer inteligente e manipulador e de dois policiais que precisarão vencer os próprios limites para pegá-lo. Em uma noite extremamente fria em Estocolmo, um homem aparece sozinho e desnorteado em uma ponte. Quando ele é encontrado, a hipotermia já toma conta de seu corpo. Ao ser levado para um hospital, descobre-se que há sete anos ele foi declarado morto.Seu assassinato foi creditado ao serial killer Jurek Walter, que foi preso há alguns anos pelo detetive Joona Linna e sentenciado a prisão perpétua em uma ala psiquiátrica. Enquanto investiga o aparecimento desse homem e tenta entender onde ele esteve durante os últimos sete anos, evidências desconhecidas começam a aparecer e influenciar o caso que já estava arquivado.
Este livro foi cedido pela Editora Companhia das letras, porém as opiniões são completamente sinceras. Não sofremos nenhum tipo de intervenção por parte da Editora. 

Resenha: 

"Não precisa buscar. É o mesmo com a justiça, ou os deuses. Escolhemos o que serve a nossos propósitos."
O detetive Joona Linna foi responsável pela prisão de um serial Killer , que de uma forma ou de outra muda sua vida, porém algo ainda está faltando e Joona, sabe disso.


Jurek Walter, vive encarcerado num hospital psiquiátrico de segurança máxima onde vive uma rotina rígida, recheada de remédios e pouca (ou nenhuma) interação com qualquer um, até os enfermeiros entram em seu quarto com algodão(tampões) nos ouvidos, pois ele tem o estranho poder de falar coisas que ficam na cabeça das pessoas como uma tatuagem macabra, ou uma reza impertinente. E mesmo preso, ainda consegue ser responsável por crimes cometidos dentro fora daqueles muros aonde está preso.

Joona precisa reabrir esse caso , quando um menino que havia sumido há 7 anos uma das vitimas de Jurek, Mikael Frost, reaparece , totalmente debilitado e claramente perturbado sem falar coisa com coisa, afirmando que sua irmã que havia sumido junto com ele, ainda está presa aonde quer que eles estivesse. E também alucina sobre um Homem de areia, no qual diz a lenda que ele joga areia nos seus olhos e os coloca dentro de um saco.

O detetive reabre o caso. Enquanto Mikael está se recuperando, várias histórias com vários personagens vão se desenrolando num ritmo frenético, divididos em capítulos curtos e uma narrativa que prende, do inicio ao fim.


O homem de Areia fala sobre a natureza ruim do ser humano, a propensão que temos pelo mal e como algumas pessoas conseguem influenciar e fazer o mal só por fazer.

Nosso serial killer é esperto, manipulador e fora dos padrões. Será que nosso detetive irá conseguir solucionar o caso e o mais importante: sairá ileso das manipulações de Jurek?


Foi uma leitura ótima, com personagens marcantes como a personagem feminina  Saga, ou mesmo Jurek com seu segredo, e Joona com seus conflitos internos e até mesmo morais.

Esse é o 4º livro da série do detetive Joona, mas pode ser lido sem seguir a ordem, pelo menos só li esse e não senti que faltava qualquer coisa antes. Lars Kepler, é o pseudônimo de um casal sueco que escrevem em parceria romances policiais, muito bem escritos, diga-se de passagem.

Outra curiosidade sobre a história: O Homem de Areia é um conto escrito em 1817 por Ernst Hoffmann, e trata basicamente de uma lembrança infantil do protagonista que começa a descrever a casa de sua infância, uma casa com pai, mãe e filhos, os quais tinham por hábito, depois do jantar, ficar em torno do pai que fumava seu cachimbo. Mas, de vez em quando, as crianças eram postas na cama mais cedo, pois o Homem da Areia iria chegar. Natanael ouvia os passos pesados de um visitante, com o qual o pai estaria ocupado toda a noite. A babá contara a Natanael que o Homem da Areia era um homem perverso que chegava quando as crianças não iam para a cama, jogava areia nos olhos delas, fazendo com que saltassem fora. Ele então colocava os olhos num saco e os levava para alimentar seus filhos na lua.

Espero que tenham gostado. Até a próxima e cuidado com O homem de Areia. ^^

11 comentários

  1. Gosto de livros assim, cheios de mistério e investigação, coisas de serial Killer e etc. Mas vou dizer que esse ainda não chamou tanta atenção. Gostei mas nem tanto pra ler no momento. Fica mais como dica mesmo. Achei interessante a história do homem de areia porque já tinha visto falar algo assim da areia nos olhos e tal, mas essa história mais detalhada nem tanto. É um detalhe interessante da história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cristiane!
      Sim, a questão de basear a historia em uma lenda/conto deixa tudo mais interessante.^^

      Excluir
  2. Olá Karla!
    Adorei o livro ser baseado numa lenda, acho que isso aproxima mais o público da história. Como uma boa fã de thrillers claro que fui fisgada pela sinopse. Vejo que cada vez mais a mente sombria do ser humano é explorada no mundo literário, nos fazendo refletir bastante sobre o tema e sempre há aquele questionamento filosófico: O ser humano é mau por natureza ou se torna mau conforme interage com o mundo?. Vou procurara saber mais sobre a série do detetive Joona.
    Beiiijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline!
      Sempre lembro de Rosseau quando penso na natureza humana. Ele dizia que o homem nasce bom mas a sociedade o corrompe. Acredito que todos temos o bom e o mau dentro de nós, mas alimentamos mais um que o outro.
      😉

      Excluir
  3. Oi, Karla!!
    Gosto bastante de livros que tenham muito suspense, mistério e que envolvam investigação policial. Achei bem interessante a história desse serial killer e como ele pode ser tão esperto que pode enganar detetive Joona. E também fiquei bem surpresa em descobrir que esse livro é uma série do com o detetive Joona e esse livro já é o quarto livro da série.
    Bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marta!
      Acredita que também fiquei surpresa de saber que já tem livros anteriores do detetive ? Eu sempre consigo de algum forma ler livro fora de ordem rsrsrs. Mas como são história independentes, tudo bem!
      =)

      Excluir
  4. Olá! Confesso que não conhecia o livro, mas um suspense é sempre muito bem-vindo, ainda mais quando bem escrito. A história parece ser bem perturbadora, afinal várias perguntas ficam no ar e a vontade de descobrir tudo o mais rápido possível só aumenta. Bacana que apesar de ser o quarto livro, pode ser lido separadamente sem mais transtornos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elizete!
      Nossa, confesso que fiquei tão ansiosa para descobrir tudo que quase pulo direto para o final, rsrsrs.
      Não curto muito séries que dão continuidade nas historias obrigatoriamente, mas séries que os livros são independentes são minhas favoritas!

      Excluir
  5. Olá, de fato a obra aparenta mesmo contar com um ritmo acelerado de acontecimentos, até porque o leitor deve ficar muito curioso para entender toda a perspectiva do homem de areia. É interessante o fato de que a detetive espelha exatamente a reação dos leitores, como se ambos caíssem nas armadilhas do serial. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alison!
      Sim, o ritmo do livro foi uma das coisas que mais gostei e o fato do sobrenatural parecer pairar cada vez que o prisioneiro aparecia.
      =)

      Excluir
  6. Gosto de livros de serial killer, e esse parece ser alucinante!
    Daquelas que tiram nosso fôlego e só largamos quando chegamos à última página.
    Essa questão toda da manipulação e do mal estar no ser humano, de uma forma tão pura e grotesca, me deixou beeeeem curiosa pra ler.
    bjs

    ResponderExcluir