The Heart of Betrayal (Crônicas de Amor e Ódio) - Mary E. Pearson

3 de janeiro de 2018

Título: The Heart of Betrayal - Crônicas de Amor e Ódio, 2
Autor: Mary E. Pearson
Páginas: 395
Ano: 2015
Editora: Darkside
Gênero: Ficção YA
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:  
Sinopse: Em The Heart of Betrayal — Crônicas de Amor e Ódio v.2, Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela. Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino.
Resenha:

Estive preocupada. Estive muito preocupada com o fato de poder me decepcionar na leitura de The Heart of Betrayal. Me preocupei que o mistério que ronda o primeiro livro fosse o único motivo que me fez devorar ávida e rapidamente todas as páginas de The Kiss of Deception. Comecei a leitura com os dois pés atrás, desconfiada do talento literário da escritora. Segurei minhas expectativas para não me decepcionar. Mas eis que todas as minhas preocupações foram em vão. Fui surpreendida desde o começo do livro, mais vezes do que consigo contar. O mistério era só uma das ferramentas que a autora usa para nos prender de uma maneira incrível. Mas, sem mais delongas, vamos à história.

No fim de The Kiss of Deception, deixamos Lia nas mãos de Kaden e dos Vendanos. The Heart of Betrayal começa com ela entrando em Venda, acorrentada e exibida às milhões de pessoas que se juntaram nas ruas para ver a tão aclamada Primeira Filha de Morrighan. Era um circo e ela era a atração principal. Ao longo do tortuoso caminho, milhões de perguntas passam pela mente de Lia: Onde estava Rafe? Quais eram as possíveis saídas daquele lugar? Será que sua família estava em segurança? E o pior de tudo: Até onde ela iria para sobreviver? Pergunta que de fato martela a cabeça de Lia por todo livro. Mas já a conhecemos de outros carnavais, já sabemos de sua força, coragem, cautela, esperteza e frieza. Sabemos que ela conseguirá sair dali. Quer dizer, achamos que sabemos até conhecermos o Komizar.

Por mais que você tente, é muito difícil não ceder à inquietude que o Komizar despertará. Ele é um homem astuto, inteligente, calculista e sedento por poder, o que faz dele extremamente perigoso. Apesar de fazer atrocidades e colocar Lia em situações muito humilhantes (isso inclui andar por Venda em um saco no lugar de roupas) ele é um personagem muito profundo e muito bem construído. À medida que o livro avança vamos compreendendo as raízes de suas ações, a sua ligação inquebrável com Laden e o modo como a vida era conduzida por ele em Venda. Ele não hesite em tomar as decisões mais inimagináveis para manter sua população unida e viva. Venda, ao contrário dos outros reinos, não foi tão agraciada com campos férteis e plantações robustas. Eles precisam se contentar com pouco.

Então, do encontro de suas mentes sagazes como a de Lia e do Komizar, não tinha como dar algo diferente de um envolvente jogo de estratégias. E um jogo que eu me volvi muito por sinal. A primeira jogada do Komizar havia sido manter Lia prisioneira. Venda não tinha prisioneiros e Lia sendo uma ela com certeza seria usada para algo muito além do que imaginava. Ela precisava dar o segundo passo, precisava estar no controle. O mais interessante de tudo é que os dois se surpreendem durante todo o livro. Um sempre está pensando na frente do outro e por isso não dá pra saber nunca quem está na frente. Eu fiquei extremamente inquieta para tentar prever todos os movimentos, quais peças seriam usadas e quem se movimentaria no tabuleiro. Mas, ah, minha doce inocência achando que algum dia eu poderia prever o que aconteceu (que você só saberá se ler, por sinal).

Chegamos enfim ao Kaden, em seu habitat natural. Vivendo no meio dos seus costumes, do seu povo e de suas memórias. Lia se “hospeda” em seu quarto e dia após dia vai conhecendo um pedacinho a mais de Kaden. Nesse livro conseguimos enxergar muito mais do seu passado, de modo que fica muito claro a razão de todas as suas mágoas. As cicatrizes em suas costas são desvendadas e Lia, envolvida, deixa o ódio de lado, se permitindo desenvolver um carinho muito grande por ele. Nós também desenvolvemos. Há aqueles que serão para sempre #teamkaden e ficarão extremamente balançados com o decorrer da história. A autora consegue criar em nós sentimentos latentes pelos dois. Tanto por Kaden, quanto por Rafe. E falando em Rafe, ele também está preso em Venda, enlouquecido com a ideia de tirar Lia dali. Ele também se envolve e um jogo com o Komizar, colocando sua vida em risco. Ele e Lia cruzam barreiras e limites para conseguirem sobreviver àquele lugar. Tudo o que eles fazem tem um sentido, por mais que momentaneamente elas parecam uma loucura repentina.

Agora, o que definitivamente me prendeu total atenção e me fez virar fã da escritora foi toda a mitologia que ela criou por trás do seu mundo. Neste livro temos muito mais contato com a história de Morrighan, de Venda e dos Remanescentes e a cada capítulo as coisas vão se entrelaçando de uma maneira que nos leva a arrancar os cabelos por mais. Sabe todas aquelas citações que aparecem de vez em quando entre os capítulos? Pois é. Elas têm um motivo de estarem ali. Eu me encantei com a maneira como a história do povo é viva nas ruas, nos gestos e nas roupas. São detalhes que nem demos a devida atenção se abrindo na nossa frente e de pouquinho em pouquinho vamos tecendo a colcha de retalhos que é essa história junto com Lia.

Nem preciso dizer que ela continua uma das personagens mais incríveis que tem por ai né?! As coisas que acontecem com ela nesse segundo volume a amadurecem muito, colocam seus valores a prova e ela deixa de ser a princesa esquentadinha e sortuda que conseguiu driblar não só um, mas dois reinos. Ela se torna uma sobrevivente, e todos sabemos que o que fazemos para sobreviver as vezes vai além dos nossos limites. Lia se vê pressionada a girar as engrenagens de sua cabeça para jogar com as peças que ela tem a sua disposição. Sua força se traduz em palavras, em gestos. Ela sabe como moldar a situação a seu favor, sem precisar de ninguém para ajudá-la.

Ah e o final da história… Meu Deus… Nem sei o que dizer, apenas sentir. E sentir vontade de ler o próximo livro o mais rápido que der. Estava sentindo falta de uma boa fantasia, com tudo que ela tem direito. Mistério, reviravoltas, romance, mitologias e um pouco de humor. Tudo na dose certa.


11 comentários

  1. Namoro esta trilogia desde que foi lançada, primeiramente pelas capas! Caramba, fazia tempo que não via capas tão lindas(a do terceiro livro então é a mais linda)
    Aliás, acho que não via livros de fantasia tão bem indicados quanto estes nos últimos tempos.
    O crescimento da personagem parece ser bastante nítido e isso talvez seja o ponto forte da história.
    Pretendo ler os livros em breve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Maíra. Bom, eu não posso falar muito sobre o Rafe e o Kaden, pois não os conheço profundamente (do livro anterior), mas é bom ver essa proteção toda deles com a Lia, e também saber que ela é uma personagem forte, em meio a traições, situações conflitantes e mentiras!

    ResponderExcluir
  3. pensa em alguém que esta doidissima pra ler essa trilogia !! além de as capas serem lindas demais, o conteudo do livro parece ser ótimo, adoro fantasias e romances e esse livro tem tudo pra ser um dos meus preferidos!! nem conheço Lia mas ja considero pakas hahahaha e adorei que exista um jogo de estrategia no meio da trama hahaha sou pessima em tentar adivinhar as coisaas então vou ficar roendo as unhas esperando a jogada de cada um seja da Lia ou do Komizar, mal espero pra ter esses livros em minhas mãos.

    ResponderExcluir
  4. Quero muito ler Crônicas de Amor e Ódio, pois sempre leio muitos comentários positivos referentes aos livros, e por este motivo, minha próxima leitura será The Kiss of Deception. Que bom que você foi surpreendida desde o começo deste livro, simplesmente fiquei muito curiosa e ansiosa para conferir a história das Crônicas de Amor e Ódio depois de ler sua resenha.

    ResponderExcluir
  5. Oi Maíra!
    Que bom saber que a gte pode esperar pontos positivos da leitura, eu sou louca pra conhecer os livros e pretendo mto conseguir essa meta logo...As copas e os enredos me conquistaram...
    Bbjs!!

    ResponderExcluir
  6. Eu sou muito louca por essa trilogia desde que lançou. Ai essas capas, a história parece ser tão boa que a vontade só aumenta. Foi otimo ler a sua resenha e saber que está te agradando tanto. Eu adoro esse tipo de fantasia com romance.

    ResponderExcluir
  7. Oi!! Eu li The Kiss of Deception e, apesar de eu ter gostado da história, houve uma série de inconsistencias e deslizes que me fizeram me manter afastada desse segundo volume. Mas já que você, que também estava com os pés pra trás, gostou, talvez eu me aventure a ler, mais pra frente hehe

    ResponderExcluir
  8. Sou apaixonada pela série apesar de ainda estar no primeiro livro preciso do novos livros inclusive o de contos que foi lançado pela Darkside Achei bem interessante apesar da capa destoar um pouquinho dos outros

    ResponderExcluir
  9. Maíra!
    Acho bem complicada a dinâmica dos povos e a interação entre eles, entretanto, como amo distopia e sabendo que nesse segundo volume ainda foi inserido um pouco de misticismo, fiquei bem interessada em ler.
    E gosto da forma como resenha, porque tudo fica bem explicado.
    Desejo uma semana mais que abençoada e Novo Ano repleto de realizações!!
    “Meta para o Ano Novo? Ser feliz!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  10. Ooi, quero muito ler The Kiss of Deception, li muita coisa positiva sobre essa série que me deixa cada vez mais curiosa sobre esse universo.
    Gosto muito de livros com a mitologia por trás do seu mundo.
    Parece ser uma leitura incrível.

    ResponderExcluir
  11. Já tem tempo que quero ler esse livro, (mas o primeiro antes, claro). Coitada da moça, sendo humilhada desse jeito, mas pelo que foi descrito na resenha, acho que ela vai se livrar.
    Essa mitologia criada deve ser muito interessante, espero conseguir ler em breve!

    ResponderExcluir