Conquistada por Um Visconde - Stephanie Laurens

29 de janeiro de 2018

Título: Conquistada por Um Visconde - As Irmãs Cynster, 1
Autor: Stephanie Laurens
Páginas: 368
Ano: 2016
Editora: HarperCollins Brasil
Gênero: Romance
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon | Americanas | Submarino
Nota:     
Sinopse:
Londres, 1829. Decidida a escolher seu próprio herói, um que a deixe completamente extasiada e pronta para a felicidade conjugal, Heather Cynster declina convites para os bailes conservadores da aristocracia londrina e busca aventuras fora de seu círculo social. Ao ultrapassar as fronteiras de seu mundo seguro e comparecer a um sarau oferecido por uma dama de reputação duvidosa, Heather acaba entrando na cova de leões. Mas seus planos de independência são arruinados quando encontra, no meio do salão, o enervante Visconde Breckenridge. Amigo dos Cynster e, principalmente, dos irmãos de Heather, ele a toma pelo braço e a leva até a carruagem. Mas seus esforços são inúteis. A poucos metros de entrar no carro, Heather é interceptada e sequestrada por inimigos ocultos que buscam vingança contra os Cynster. Agora, o arrojado Visconde terá de provar que é realmente o herói que Heather tanto almeja... Escrito com maestria, paixão e toques de humor, Conquistada por um visconde é uma trama inesquecível, que deixará o leitor querendo mais após a última página. Composta por Stephanie Laurens, considerada a sucessora de Georgette Heyer e a principal referência de muitas escritoras de sucesso, seus romances têm como cenário a alta sociedade de Londres do período regencial. Conquistada por um visconde é a escolha certa para os fãs de narrativas cujos personagens são damas audaciosas arrebatadas por nobres sedutores.

Resenha:
— Sim, farei isso. — Ele forçou-se a dizer as palavras que ela queria ouvir.
 — Vou trazer uma das irmãs Cynster aqui, para que você se vingue.
Iniciamos o livro com um homem misterioso e poderoso tendo uma conversa nada amigável com sua mãe, ela deseja vingança (Deus sabe porque ) e quer de qualquer maneira destruir a família Cynster.
Heather é uma mulher muito bonita, espirituosa, determinada e muito, muito inteligente. Ela aos 25 anos, precisa se casar, mas parece que seu "herói" está longe de ser encontrado. Ela deseja um homem totalmente apaixonado, que a ame como de fato merece.

Determinada a encontrar seu príncipe encantado, ela decide ir (escondida) a uma festa, que não é de longe o lugar que uma dama como ela deveria frequentar. Acaba encontrando o Visconde de Breckenridge, o maior libertino e amigo de sua família, que por anos a deixa "desconfortável" (no bom sentido).

Timothy Danvers, é o Visconde de Breckenrid e quando vê a mulher que atormenta sua mente a exatos quatro anos no meio de um salão que é um prato cheio para libertinagens, ele decide tomar para si o papel de segurança da dama e decide que ela irá embora, por bem ou por mal!
Por que, de todas as damas da alta sociedade, tinha de ser Heather Cynster quem o deixava tão perturbado? Ele desconhecia o motivo.
(...)
Ela tinha 25 anos, e ele era dez anos e um milhão de noites mais velho;
Porém, quando Heather está a caminho de sua carruagem, o Visconde acaba presenciando seu sequestro. Totalmente disposto a salvar a bela dama, inicia uma implacável perseguição.

Comecei a ler esse livro totalmente animada, porém não consegui chegar ao terceiro capítulo. Achei a narrativa totalmente chata. Deixei a leitura de lado e embarquei em outras. Mas se tem algo que me incomoda, é deixar leitura pela metade, não costumo ficar pensando sobre isso, mas esse livro estava me chamando, dizendo: "ei, me dê outra chance, leia-me!"

Acabei ouvindo seu chamado e mais uma vez comecei a leitura, continuei achando os primeiros capítulos um tanto que chatos, os primeiros 30% do livro eu quis simplesmente esganar Heather que insistia em saber quem era o seu sequestrador e não deixava que o visconde fizesse seu papel de herói. Entendi seus motivos, mas isso não quer dizer que os achei sensatos.

Heather lida muito bem com o sequestro, primeiro: porque ela quer saber quem é o homem que deseja sequestrar uma Cynster e segundo ela sabe que se nada der certo, pode fugir com o visconde.
Mesmo quando o pensamento se formou, junto da percepção de quão solitária se sentiria se não soubesse que ele estava perto, quão amedrontada e verdadeiramente em pânico estaria, ela não pôde deixar de reconhecer como era irônico. Como era estranho que seu arqui-inimigo — a quem ela costumava evitar e desgostava por completo — havia de alguma forma se transformado em seu salvador. Breckenridge, seu salvador.
Acabei descobrindo que existem outros livros antes desse, acho que por isso me senti por diversas vezes meio perdida. Depois que Heather e o visconde conseguem fugir, o livro flui que é uma beleza. Não consegui largar o kindle e queria saber logo o que aconteceria com o casal.
O que mais o preocupava era que, mesmo que tivesse pensado, racionalizado e debatido, o resultado teria sido o mesmo. Quando se tratava dela, fosse qual fosse a situação, nunca havia nenhuma pergunta, nenhuma dúvida em sua mente sobre o que deveria fazer. A proteção dela, a segurança dela — o carinho por ela. Desde o primeiro instante em que pusera os olhos nela, quatro anos antes, essas haviam sido a fixação de sua mente. Sua decisão. Nada do que ele fizera, nada do que ela fizera, conseguira mudar isso.
O visconde é um homem muito protetor e apaixonado por Heather, mesmo que ele negue isso a si mesmo por quatro longos anos. Ela sabe que sente algo forte, mas ainda não definiu o que é. Os dois tem muito medo de se entregar, Heather o faz primeiro e tenta tirar do visconde algo, mas é um trabalho bem árduo.

Curti muito a escrita da autora e a maneira que ela conduziu a história, a parte do sequestro poderia ter sido bem menor, mas depois disso a leitura flui facilmente, as cenas eróticas são MARAVILHOSAS, acho que nunca li algo tão bem elaborado em um romance de época. Virei fã e quero ler todas as histórias anteriores! Não deixem de ler! Vale muuuuito a pena!!!

Beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeijos :*

7 comentários

  1. Tão bom quando a gente dá uma nova chance a um livro e ele nos quebra inteiros!
    Já tinha dado uma olhada na resenha deste livro e mais uma vez repito:bom demais que os romances de época estejam tão em alta.
    Uma gama de novos autores tem trazido histórias maravilhosas e se eu tiver oportunidade, quero muito poder conferir este!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Olá Yohanna!
    Esse livro tá na minha listinha desde o lançamento, não vejo a hora de conseguir uma oportunidade conhecer, amo o gênero e pelo enredo, ,minhas expectativas só aumentam!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  3. Eu ainda não li essa trilogia da editora Harper Collins mas eu fico feliz em saber que cada vez mais editoras estão aderindo a lançamento de romances de época e se já está na minha lista de leituras e faltam os três livros para começar a ler esses e particulamente eu fiquei bem mais interessada no terceiro e último livro da trilogia

    ResponderExcluir
  4. Gosto de livros de romance de época, então acabei me interessando em ler este livro após ler sua resenha. Uma pena que apesar de você ter começado a ler este livro totalmente animada, não conseguiu chegar ao terceiro capítulo, pois achou a narrativa totalmente chata, mas que bom que deu uma segunda chance ao livro e depois que os personagens conseguem fugir a história do livro flui.
    Como gosto de livros de romance de época pretendo ler Conquistada por Um Visconde.

    ResponderExcluir
  5. então esse é o famoso conquistada por um visconde.. haha menina ainda bem que tu gostou do livro, é uma pena o começo ser um pouco chatinho, mas nós somos brasileiros e não desistimos nunca hahaha, Infelizmente ainda não tive o prazer de ler um romance de época mas estou tão curiosa, vejo tanta gente falando deste gênero que já não me aguento de curiosidade,e este livro me interessou muito!!

    ResponderExcluir
  6. Yohanna!
    Nossa! Não sabia que o início do livro era chato e lento, mas fiquei feliz que tivesse dado outra oportunidade para a leitura, porque você até favoritou, né?
    Gosto de livros descritivos, porque os detalhes fazem toda diferença, porém em excesso, fica mesmo cansativo.
    Achei que pelo fato de haver um sequestro, o livro foi mais carregado de ação.
    Ainda assim, como gosto dos romances de época, gostaria de ler.
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Yohanna.

    A princípio, achei que o sequestrador era o próprio Visconde, mesmo ele sendo amigo da família.

    Acho que esse ato de heroísmo dele serviu para uni-los e fazer surgir novos sentimentos.

    ResponderExcluir