Belas Adormecidas - Stephen King e Owen King

25 de dezembro de 2017

Título: Belas Adormecidas
Autor: Stephen King e Owen King
Páginas: 728
Ano: 2017
Editora: Suma das Letras
Gênero: Fantasia, Horror e Ficção Científica
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota:     
Sinopse: Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir. Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos. Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”, incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis.  Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes.

Resenha:
“Com teias de aranha no cabelo e a morte na ponta dos dedos.”
Se um é bom, dois arrasam! Stephen King e seu filho Owen King juntos, numa obra bem escrita, assustadora e como se era de esperar, de tirar o fôlego.

Agora lanço uma pequena pergunta: O que vocês acham que aconteceria com a humanidade se todas as mulheres caíssem num sono profundo? Portanto, essa é a proposta de Belas Adormecidas, no qual um singular flagelo se espalha ao redor do mundo tendo como vítimas mulheres. Conhecida como Epidemia Aurora, mulheres em todas as faixas etárias são acometidas de uma imobilidade misteriosa. Ao dormirem, não mais acordam e seus corpos são cobertos por um revestimento hermético, com aparência de teias brancas e pegajosas, que as lacram numa espécie de casulo. Embora a situação seja inusitada, o sono dessas mulheres parece ser bem tranquilo, no entanto, ao tentar acordá-las, toda essa tranquilidade é revestida de uma fúria assassina de força intimidadora, chegando mesmo a matar o príncipe encantado que ousou despertá-las.
“Seus olhos estavam fechados. A expressão de fúria tinha desaparecido. Uma expressão de serenidade inabalada assumiu o lugar dela. De repente, ela sumiu, escondida pela substância branca. A mãe da criança a segurou no colo, a aninhou e começou a beijar os dedos sujos de sangue.”
As mulheres que ainda não sucumbiram ao maléfico sono lutam desesperadamente para ficarem acordadas. Usam de todos os subterfúgios para se conservarem despertas como uso de drogas e muita cafeína. No entanto, uma única mulher parece permanecer imune a essa praga.


No sistema prisional feminino de Dooling, Evie Black é uma mulher que transita entre o sonho e a consciência sem maiores problemas. Ela acabou na prisão depois de matar com as próprias mãos dois traficantes de drogas. Clinton Norcross, o psiquiatra da cadeia, é então convocado pelo chefe da prisão para investigar a situação de Evie e descobrir se ela é a chave para entender tudo que está acontecendo, afinal os distúrbios se desencadearam após sua chegada. Quem é afinal essa mulher misteriosa? O bem ou mal em toda sua essência?

“A menina não está morta, mas dorme – Mateus 9:24”
Enquanto o caos se instala e a verdadeira situação de Evie não é esclarecida, os homens de Dooling se segmentam em grupos distintos. Alguns tencionam matar Evie, outros querem protegê-la, e outros mais truculentos querem realizar seus desejos mais perversos em meio ao caos. Frente a esse pavoroso clima, Clint Norcross tenta desesperadamente descobrir o exato universo de Evie na expectativa de desfazer os efeitos da praga.
“O único jeito de impedir a disseminação da Aurora é queimando os casulos e as mulheres adormecidas dentro! Façam isso imediatamente! Vocês vão dar às suas amadas o descanso que elas desejam nesse estamos semiconsciente e não impedir a disseminação da peste.”
A trama é extremamente bem elabora e várias perguntas passam pela cabeça do leitor ao longo da trama. Queria desesperadamente descobrir o que tinha causado o surto e o que acontecia quando elas dormiam. No entanto perguntas como essa somente começam a serem esclarecidas mais pela metade do livro, afinal seu início é um grande reconhecimento de personagens e outros pequenos acontecimentos que ocorrem ao longo de uma história.

Uma obra apocalíptica bem estruturada que nas mãos hábeis de King e seu filho gerou uma pressão contínua, permitindo que a obscuridade de seus personagens refletisse de maneira singular em cada pessoa que se arrisque a ler.

10 comentários

  1. O Mestre King nunca precisou usar terror de fato para amedrontar o leitor. Ele consegue nos fazer entrar no enredo, nos colocar nas situações, questionando e claro, criando aquele medo psicológico dentro de nossas mentes.
    Ainda não conheci as letras deste filho dele, só as do Joe. Mas tenho certeza que não é pouca coisa não.rs
    O livro está na lista de desejados e espero ler ele em breve!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Tá, agora deu vontade de ler!
    Não tinha pensado em pegar mas ver mais do que fala e toda essa doideira de as mulheres estarem dormindo assim por toda parte e o que causou isso, como é possível e essas coisas já me deixou curiosa. E ter uma que não cai nessa maldição então? Quem não vai querer entender isso? Adorei a ideia do livro. Agora é ver se esses dois juntos conseguiram fazer dessa uma história extraordinária como pode ser mesmo. Me deixou com vontade de ler xD

    ResponderExcluir
  3. Oi, Nádya. Não gosto de livros de terror, mas esse mistério que ronda essas mulheres, nos faz querer desvendá-lo!

    ResponderExcluir
  4. Eu já tinha me deparado com esse livro, mas sequer tinha lido a sinopse e confesso que a sua resenha me convenceu e instigou a ler essa obra, apesar de eu nunca ter lido nada do King. A premissa me lembrou da hq Y- O último homem, em que todas as pessoas com cromossomo Y são mortas por uma estranha epidemia... Também não a li, mas esses enredos apocalípticos me chamam muito a atenção!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Nádya!
    Na verdade nem todos os livros do King (e de sua prole) são de terror, alguns são mesmo de ficção com um jeito de thriller psicológico e acredito que é o caso aqui do livro, onde há uma série de novas doenças, o conflito entre os sexos, os mistérios em relação aos assaddinatos e por aí vai.
    Gostei de ver que há uma introdução falando sobre as diversas personagens, o que deve facilitar o entendimento.
    Uma semaninha abençoada na paz do Senhor e FELIZ NATAL!
    “Celebrar o Natal é crer na força do amor, é isto que transforma o homem e o mundo. Feliz Natal!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Uau. Esse com certeza vai para minha lista. Quando vi que era de Stephen King (nunca li um livro dele), pensei que fosse ser algo sombrio e sangrento e, sim, tem isso, mas... Cara, eu quero ler esse livro.
    Mulheres dormem, são cobertas por um casulo e viram bestas quando acordas... O que será do mundo? Por que isso? É uma pena que 2017 esteja acabando e eu não vou ler antes.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    King, sempre sendo King. Eu já li resenha desse livro, a trama é muito envolvente e com bastante mistério no ar. Eu quero muito ler os livros deles,sei que são incríveis e esses com certeza já faz parte.

    Meu Blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  8. Eu quero muito ler esse livro! Não só por ser escrito por um dos melhores escritores e a curiosidade em saber sobre a escrita do filho dele, mas sim por se tratar de um livro onde tem Personagem feminina marcante. Que a história gira em torno dela. Evie parece ser aquela personagem incrível e forte, o tipo de protagonista que gosto.

    ResponderExcluir
  9. É impossível não se apaixonar pelas obras de Stephen King e o mais interessante esse livro é o que ele escreveu com o filho dele então realmente tem muita criatividade envolvida e na verdade nunca cheguei a ver nada do filho do Stephen King

    ResponderExcluir
  10. Oi, Nádya!
    Adorei a proposta desse livro de colocar um mundo onde as mulheres são quase extintas!! Sem dúvida essa estória é maravilhosa e incrível pois pai e filhos escrevendo juntos só pode sair coisas boas desses dois!! Amo a escrita do Stephen King mas preciso urgentimente conhecer algum livro do Owen King também.
    Bjoss

    ResponderExcluir