Resenha: Perdida - Carina Rissi

Autor: Carina Rissi
Páginas: 322
Ano: 2011
Editora: Verus
Adicione: Skoob
 
Sinopse: Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa – ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo – e lindo – Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos... 
Resenha:

 "Contos de fadas podem se tornar realidade, Sofia. Basta que a Princesa não lute contra a própria felicidade."

Eu estava querendo ler a muito tempo, já o havia comprado e sempre adiava a leitura por ser um gênero que eu não costumo ler. Com a proximidade do lançamento do terceiro volume, minhas desculpas acabaram e resolvi então ler. E eis que eu percebo mais uma leitura adiada à toa...claro que a fila de leitura é longa e algumas obras acabam ficando mais de lado do que o pretendido! Mas não é nada que não possamos mudar!!!

Enfim...alface...nunca mais!!!! O problema é que se eu contar o motivo, vou tirar muito da graça da leitura então...só lendo mesmo!!!

Vamos conhecer um pouco da história: Sofia é uma menina/mulher de 24 anos que depende completamente da tecnologia, ela não vive sem seu celular ou sem seu computador. Este último, quando tem um problema e ela tem que usar uma máquina de escrever...Jesus que tortura!!!! são trechos muito divertidos da leitura, que eu amei! Ela odeia seu emprego, odeia seu chefe e deixa claro que esta ali só para pagar as contas! Namorado??? Nem pensar! Então uma noite sua amiga a convence a sair com ela e o namorado e depois de exagerar um pouquinho na bebida, acidentalmente ela derruba o celular no vaso, o que a leva a uma aventura inimaginável quando, no dia seguinte ela sai para comprar outro aparelho.
Uma misteriosa vendedora lhe oferece um aparelho que...Não funciona! Ou melhor, funciona de maneira muito, muito diferente. A leva para outra época! Mas obviamente ela não percebe isso enquanto a vendedora não quer que ela perceba.
"você não está perdida. Está exatamente onde deveria estar."
Imagine uma mulher de 24 anos usando saia, tênis e uma blusa "cair" no século dezenove? E imagine o homem mais educado, conservador e puritano da época encontrando-a nesses trajes? Imaginou? Pois a autora coloca isso tudo de forma tão leve e divertida que é impossível não se apaixonar pelo Ian logo de cara!

Sofia se vê perdida em uma época completamente diferente, com hábitos e pessoas que não são nem de longe parecidos com o que ela conhece, com palavras e comportamentos antes impensáveis para ela, sem ter a menor ideia de porque ela foi parar lá e muito menos como voltar pra casa.
“Tenho esperanças de que você encontre o cara certo um dia desses, sabia? Já está na hora de viver uma história de amor de verdade e esquecer as dos livros. Acho que vai ser divertido ver como você vai se sair quando se apaixonar pela primeira vez.”
Ela não entende, muito menos se conforma com sua sorte e passa a tentar descobrir como voltar para sua casa, ou melhor, sua época. sempre com a ajuda do querido Ian. Eles desenvolvem um relacionamento fácil, de cumplicidade e amizade, sem perceber que estão se apaixonando. Ian é educado, amável, respeitador e extremamente ingênuo, o que faz seu personagem ser ao mesmo tempo fofo e divertido.
" — Porra! — exclamou Ian, e eu arregalei os olhos, completamente maravilhada. Gostei de vê-lo despido de sua fachada educada e se comportar mais como o tipo de gente que eu estava acostumada." 
Então, eis que a mágica acontece e a menina durona que não quer se apaixonar e só quer voltar pra casa, se apaixona. E isso é uma passagem bem engraçada do livro porque mesmo Ian e Sofia sendo adultos, livres e independentes eles passam a ter encontros às escondidas, afinal, não vamos esquecer que eles estão no século dezenove e as moças devem ser recatadas, o que em nada combina com sofia que as vezes solta cada gíria que eles nem sequer imaginam o que quer dizer, além de ser absolutamente liberal, o que é muito engraçado e muitas vezes constrangedor. Mas Ian, claro que não se importa com nenhum dos desvios de doce Sofia.
"Sinto que posso... flutuar quando estou com você. Como se fosse capaz de voar! Sinto-me completo pela primeira vez, Sofia!"
Mas é claro que como todo conto de fadas, este também chega ao fim e da mesma maneira que Sofia foi parar no século dezenove, ela volta para casa, e agora...foi um sonho? foi a maluquice de uma vendedora nada convencional? ou foi real?
"Eu não tinha mais pressa de voltar, não queria voltar. E aprendi que uma vida simples podia ser a mais complexa de todas, a mais feliz de todas, sobretudo se o amor da sua vida estivesse ao seu lado. E eu tinha Ian ao meu lado, que era, de muitas maneiras, mais que o amor da minha vida. Era minha vida propriamente dita. Sentiria falta de toda a modernidade, é claro, porém agora sabia que poderia sobreviver sem ela."
Ainda bem que tem sequência, pois o final foi lindo e deixou uma vontade de quero mais!
Apesar de ser uma trilogia o livro terminou como se não fosse. Se terminasse ali, a história poderia ter sido perfeitamente bem entendida com um final tão fofo quanto o livro todo!!!

E claro que foi para  minha lista de preferidos, comprei para o kindle para poder ler e reler sempre que possível como eu faço com todas as obras que eu gosto!!!

Um comentário

  1. Adorei, quero muito ler ♥
    www.apaixonadaporleiturass.blogspot.com.br

    ResponderExcluir